Varandas reformula: Pinto da Costa passa de "bandido" para "corruptor ativo"

Agência Lusa , CP
5 mar, 15:23
Frederico Varandas. Foto: Lusa

Presidente do Sporting vai ser julgado por difamar o seu homólogo do FC Porto

O presidente do Sporting, Frederico Varandas, ‘reformulou’ de “bandido” para “corruptor ativo” a qualificação ao presidente do FC Porto, Pinto da Costa, ao comentar o caso em que é acusado de difamar o homólogo portista.

Frederico Varandas vai ser julgado por difamar o seu homólogo do FC Porto, Pinto da Costa, segundo a decisão instrutória do Tribunal Judicial da Comarca do Porto a que a Lusa teve acesso na sexta-feira.

O líder ‘leonino’ não se mostrou arrependido por ter chamado “bandido” ao seu congénere ‘azul e branco’, mas aproveitou para reformular a acusação feita.

“Jamais alguém pretende ofender alguém quando se diz a verdade. Apenas disse a verdade, a verdade não ofende. Mas, se quiserem trocar a palavra, posso trocar bandido por corruptor ativo, é mais elegante”, disse Frederico Varandas.

Em outubro de 2020, Frederico Varandas chamou “bandido” a Pinto da Costa, referindo que o presidente dos ‘dragões’ “no dia em que se retirar, ou que for obrigado a retirar-se, prestará um grande serviço ao futebol português”.

“Está engasgado, está encravado nas gargantas de todos os sportinguistas, e eles merecem ouvir isto de viva voz. Mas não só os sportinguistas, também todos os portugueses que se levantam bem cedo para ir trabalhar e que tentam triunfar na sua vida, não à custa da corrupção, do compadrio, dos esquemas. Para todos eles: pode ter um grande sentido de humor, pode ser uma pessoa culturalmente acima da média, pode ter um currículo cheio de vitórias, mas um bandido será sempre um bandido”, disse Frederico Varandas, de acordo com a decisão judicial.

Pinto da Costa avançou com uma queixa contra Frederico Varandas, por proferir considerações “ofensivos da sua honra ou consideração através de meio de comunicação social”.

Face a essa acusação, o presidente do Sporting requereu a instrução, com o Juízo de Instrução Criminal do Porto a ter decidido pela sua pronúncia, uma vez que “a probabilidade de ser condenado - depois de efetuado o julgamento - é superior à da sua absolvição”.

O líder do Sporting comentou este sábado esta decisão, antes de votar nas eleições do clube, em que concorre a umasegundo mandato como presidente, frente a Nuno Sousa e Ricardo Oliveira.

As eleições decorrem, no Pavilhão João Rocha, em Lisboa, até às 20:00, meia hora antes do Sporting-Arouca, da I Liga de futebol, começar, já depois de os sócios de fora da Área Metropolitana de Lisboa terem tido oportunidade de votar por correspondência.

Os sócios vão votar para uma lista única, que engloba os três órgãos sociais do clube, Mesa da Assembleia Geral (MAG), Conselho Diretivo (CD) e Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) e respetivos presidentes.

Varandas manteve grande parte da equipa na lista A, mas ‘subiu’ os vice-presidentes João Eduardo Palma e João Teives Henriques como candidatos à MAG e ao CFD.

Ricardo Oliveira lidera a lista B, e o atual presidente da Federação Portuguesa de Padel traz Miguel Frasquilho, antigo presidente da TAP e da AICEP, como candidato ao CFD, com o advogado Luís Natário em concurso à liderança da MAG.

Na lista C, Nuno Sousa é o candidato a presidente do clube e João Gaspar, antigo assessor de João Rocha, à MAG, com Pedro Neto Domingos a avançar para o CFD.

O Sporting conta com cerca de 54 mil sócios com as quotas em dia para poderem votar nas eleições durante o dia de hoje, em que o clube campeão nacional de futebol defronta o Arouca, pelas 20:30.

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados