Adjunto despedido do Governo acusa Galamba de mentir e de mandar mentir

CNN Portugal , DCT/AG
28 abr, 17:24
João Galamba (JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA)

João Galamba demitiu o seu adjunto Frederico Pinheiro pelo que supostamente terá feito na reunião secreta entre a ex-CEO da TAP e o grupo parlamentar do PS - o Governo apresentou ainda uma queixa-crime contra Frederico Pinheiro por suposta tentativa de roubo de um computador do Estado. Entretanto, Frederico Pinheiro reagiu - e faz acusações graves ao ministro. Oposição pede a demissão de Galamba

João Galamba mentiu e pediu que mentissem: Frederico Pinheiro faz acusações graves ao ministro das Infraestruturas. É uma reação depois de o próprio Frederico Pinheiro ter sido demitido após supostos "comportamentos incompatíveis" com as suas funções - o Governo apresentou mesmo uma queixa-crime. Em causa está a participação do agora ex-adjunto do ministro das Infraestruturas nas reuniões entre Ministério, ex-CEO da TAP e grupo parlamentar do PS (GPPS). Há suspeitas de que houve perguntas combinadas antes de a ex-CEO ter ido depor ao Parlamento.

De acordo com Frederico Pinheiro, foi o próprio João Galamba a informar Christine Ourmières-Widener de que se iria realizar uma reunião preparatória antes de a ex-CEO ter ido ao Parlamento a 16 de janeiro. O então adjunto do ministro informou-o por escrito da intenção da TAP em participar na reunião. Afirma Frederico Pinheiro que foi João Galamba a dar a autorização para a presença de um membro da companhia aérea.

"De imediato Frederico Pinheiro envia um email aos serviços do Ministério das Infraestruturas para enviarem os convites para a participação da CEO da TAP na reunião, a realizar no dia seguinte via plataforma Zoom", pode ler-se no comunicado do ex-adjunto, que descreve todo o processo por datas - e na qual Frederico Pinheiro se trata na terceira pessoa.

Frederico Pinheiro continua, garantindo que "tinham sido articuladas perguntas a serem efetuadas pelo GPPS", tendo também sido referidas as respostas e as estratégias de comunicação à CEO da TAP. Divulgada a existência da reunião, o ministro das Infraestruturas não terá visto qualquer problema. "Reforçou que tinha sido o próprio, a 16 de janeiro, a revelar a Christine Ourmières-Widener a existência de uma reunião preparatória entre o Ministério das Infraestruturas e o GPPS, a realizar a 17 de janeiro", expõe no comunicado.

O ex-braço direito de João Galamba acrescenta depois que foram tomadas notas da reunião preparatória, as quais foram registadas no computador. Notas que "resumiam o que tinha sido abordado em ambas as reuniões". Os responsáveis acordaram que, em caso de requerimento pela comissão parlamentar de inquérito, as referidas notas não seriam partilhadas por serem um documento informal.

Dois dias antes de ser despedido, Frederico Pinheiro foi informado por uma técnica de que o gabinete ia informar os deputados, depois de requerimento destes, de que não existiam notas da reunião. "Nesse momento, Frederico Pinheiro indica à técnica que, como sabia, tal era falso e que, no seguimento do comunicado do Ministério das Infraestruturas de dia 6 de abril, era provável que Frederico Pinheiro fosse chamado à CPI e que, nesse momento, seria obrigado a contradizer a informação que estava naquela resposta, com a qual discordava. A técnica Cátia Rosas disse que iria articular a resposta a enviar com o ministro das Infraestruturas e com a chefe do gabinete que estavam em Singapura", refere o comunicado.

A 25 de abril, João Galamba contactou Frederico Pinho por mensagem e por telefone. O então adjunto garante que deixou claro que "a decisão que tomaram de não revelar a existência das notas teria de ser revista". "João Galamba teve uma reação irada", sublinha Frederico Pinho, que no dia a seguir recebeu uma chamada de João Galamba para o informar de que estava despedido.

Frederico Pinheiro foi para o Governo pela mão de Pedro Nuno Santos, antecessor de João Galamba, e, após a demissão do ex-ministro, manteve-se em funções com a pasta da aviação, ou seja, da TAP.

Foi este adjunto que esteve presente em nome do Ministério das Infraestruturas na reunião secreta que serviu para preparar a ex-CEO da TAP para as perguntas na comissão parlamentar de Economia de janeiro e foi ele que tirou as notas que depois foram entregues ao ministro João Galamba e que ontem foram publicadas pela SIC Notícias.

O Ministério de João Galamba afastou, esta sexta-feira, Frederico Pinheiro do Governo. O gabinete do ministro diz que o agora ex-adjunto teve “comportamentos incompatíveis com os deveres e responsabilidades das suas funções" no Governo.

Relacionados

Governo

Mais Governo

Mais Lidas

Patrocinados