Marine Le Pen: "Esta derrota sinto-a como uma forma de esperança. Somos um contra-poder forte"

CNN Portugal , MJC
24 abr, 19:32

"Nunca abandonarei os franceses", garantiu a candidata derrotada, sublinhando que estes resultados mostram bem os descontentamento do povo francês com as políticas de Macron e a força daqueles que querem a mudança. Agora, Le Pen está já com os olhos nas eleições legislativas de junho

"Um grande vento de liberdade poderia ter assolado o nosso país mas, de facto, as coisas foram de outra forma", começou por dizer Marine Le Pen, a candidata da União Nacional, assumindo a derrota nas eleições presidenciais deste domingo.

No entanto, apesar de ter perdido a segunda volta com 42% dos votos, a representante da extrema-direita prefere ver o lado positivo destes resultados: "As ideias que nós representamos chegaram à segunda volta da eleição presidencial, com mais de 40%, este resultado é, só por si, uma vitória notória. Milhões dos nossos compatriotas escolheram a mudança", disse, no discurso, no pavilhão de Armenonville, poucos minutos depois de serem conhecidos resultados das sondagens. "A nossa vontade de entender os franceses está ainda mais reforçada."

"Esta derrota sinto-a como uma forma de esperança. Somos um contra-poder forte, uma oposicão a Emmanuel Macron", garantiu. "Já fomos enterrados mil vezes e mil vezes a história mostrou que os que previam o nosso desaparecimento estavam enganados."

Le Pen considera que estes resultados são um alerta também para os outros dirigentes franceses e europeus, para que "percebam a grande desconfiança do povo francês e eles não poderão ignorar esta aspiração por uma grande mudança".

A candidata derrotada lamenta que, desta forma, permaneçam as políticas que conduziram a uma situação complicada para os franceses, com "baixo do poder de compra, retrocesso da idade da reforma e laxismo judiciário", entre outros problemas. "Temo que o próximo mandato não vá romper com as práticas detestáveis e que Macron não fará nada para mudar aquilo que divide o seu país", mas "eu vou manter o meu compromisso para defender a França com energia, com perseverança", garantiu.

Além disso, lembrou, "o jogo ainda não terminou, daqui a algumas semanas vão ter lugar as eleições legislativas". Le Pen afirma que o risco de Macron ficar com os poderes legislativo e executivo é elevado e que essa é uma hipótese que "nenhum democrata deverá aceitar", uma vez que o projeto de Macron "é destruidor para França". "Perante essa possibilidade, seremos intransigentes na defesas das nossas posições e iniciamos hoje a nossa batalha eleitoral para as legislativas".

"O resultado desta noite anima-nos para termos um grande número de deputados no próximo 12 de junho", disse. "Queremos pôr a nossa paixão ao serviço da única ambição que vale e que é a mais bela: a França".

Marine Le Pen dirigiu a sua "profunda gratidão a todos os que confiaram" nela, sobretudo para os compatriotas do campo e das regiões do ultramar, onde conseguiu melhores resultados: "Esta França é demasiado esquecida, nós não a esquecemos".

Marine Le Pen terminou o seu discurso com uma promessa: "Nunca abandonarei os franceses". E, no final, cantou o hino de França com os seus apoiantes.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados