Rasgaram quadros valiosos, partiram vidros e destruíram gabinetes: as imagens dos estragos provocados pela invasão em Brasília

9 jan, 14:45
As sedes oficiais dos três Poderes do Brasil: Palácio do Planalto, Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal – estão com acesso restrito na manhã desta segunda-feira, depois da invasão de domingo. Imagens captadas no rescaldo da invasão mostram a destruição provocada pelos apoiantes radicais de Jair Bolsonaro: de equipamentos eletrónicos a mobiliário - e até armas. Numa das salas, ficou completamente destruída uma galeria de quadros com fotos dos presidentes. A partir das imagens, é possível ver o estado das fotos de Washington Luís (1926-19230), Getúlio Vargas (1937-1945), Eurico Gaspar Dutra (1946-1951), Café Filho (1954-1955) e Michel Temer (2016-2019). Os invasores também fizeram pelo menos seis rasgos na tela "As Mulatas", de Di Cavalcanti, que fica no terceiro andar do Planalto -e está avaliada em 8 milhões de reais (1,4 milhões de euros) A Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto divulgou uma nota esta segunda-feira a listar parte dos danos causados pelos invasores ao acervo do Palácio do Planalto. A escultura de bronze "O Flautista", de Bruno Jorge, estimada em 250 mil reais, foi encontrada completamente destruída, com pedaços espalhados pelo salão. Já a escultura parede em madeira de Frans Krajcberg está partida em diversos pontos, segundo o Planalto. "A obra utiliza galhos de madeira, que foram quebrados e jogados fora. A peça está estimada em 300 mil reais.

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados