Sebastian Vettel anuncia retirada da Fórmula 1 no final da época

28 jul, 11:42
Sebastian Vettel (Dan Istitene - Formula 1/Formula 1 via Getty Images)

Tetracampeão do mundo completa a 16.ª época em 2022. Alemão de 35 anos, campeão entre 2010 e 2013 pela Red Bull, espera que o seu trabalho tenha ajudado a Aston Martin a crescer e diz que há muito a explorar na vida e em si mesmo. Testemunho emocionante no dia em que... criou conta no Instagram

O piloto alemão Sebastian Vettel anunciou, esta quinta-feira, a retirada da Fórmula 1 no final da presente temporada.

O piloto de 35 anos, tetracampeão na Fórmula 1 ao serviço da Red Bull, com os títulos de 2010, 2011, 2012 e 2013, despede-se da modalidade na sequência de duas épocas na Aston Martin.

«A decisão de retirar-me foi difícil para mim e passei muito tempo a pensar nisso. No final do ano quero ter mais tempo para refletir sobre aquilo em que vou focar-me a seguir. É muito claro para mim que, sendo pai, quero passar mais tempo com a minha família. Mas, hoje, não se trata de dizer adeus. Em vez disso, é agradecer - a todos - principalmente aos fãs, que sem o seu apoio apaixonado a Fórmula 1 não poderia existir», referiu Vettel, citado pelos canais da Fórmula 1.

O também vice-campeão do mundo em 2009, 2017 e 2018 estreou-se na Fórmula 1 em 2007 e vai na sua 16.ª temporada na categoria.

O seu percurso na Fórmula 1 começou na BMW Sauber, seguindo-se a Toro Rosso, a Red Bull, a Ferrari e, mais recentemente, a Aston Martin, sendo agora certo que a equipa terá pelo menos uma mudança para 2023, ainda que também não seja, para já, oficial que o canadiano Lance Stroll renove o seu vínculo.

«Tive o privilégio de trabalhar com muitas pessoas fantásticas na Fórmula 1 nos últimos 15 anos. Há muitos para mencionar e agradecer. Nos últimos dois anos, fui piloto da Aston Martin – e embora os nossos resultados não tenham sido tão bons quanto esperávamos, está muito claro para mim que tudo está a ser feito para que a equipa possa correr ao mais alto nível nos próximos anos. Espero que o trabalho que fiz no ano passado e que continuo a fazer este ano seja útil no desenvolvimento de uma equipa que vai vencer no futuro. Vou trabalhar o máximo que puder até ao final do ano com esse objetivo, dando como sempre o meu melhor nas últimas dez corridas», afirmou, ainda.

Vettel é o campeão do mundo mais novo da história da Fórmula 1: tinha 23 anos e 134 dias quando conquistou o título em 2010. No seu currículo, tem 289 partidas, 57 pole positions, 53 vitórias em corridas e 38 voltas mais rápidas.

A retirada de Vettel surge num dia em que o alemão criou a sua conta oficial na rede social Instagram, através da qual deixou uma mensagem sentida de despedida da Fórmula 1, tendo até algumas equipas dado as boas-vindas ao tetracampeão à plataforma.

«Quem sou eu?»: a emocionante mensagem de Vettel 

«Estou aqui para anunciar a minha retirada da Fórmula 1 no final da época 2022. Provavelmente eu devia começar com uma longa lista de pessoas a quem agradecer, mas sinto que é mais importante explicar as razões da minha decisão. Eu amo este desporto, foi central na minha vida desde que me lembro, mas assim como há a minha vida na pista, também a há fora dela. Ser um piloto nunca foi a minha única identidade. Acredito na identidade por aquilo que somos e como tratamos os outros, em vez daquilo que fazemos. Quem sou eu? Sou Sebastian, pai de três filhos e marido de uma mulher fantástica. Sou obcecado pela perfeição, sou tolerante e sinto que todos temos os mesmos direitos de viver, não importa o que parecemos, de onde vimos e quem amamos. Eu amo a natureza e as suas maravilhas. Gosto de fazer as pessoas sorrir, de chocolate e do cheiro a pão fresco. A minha cor favorita é o azul, acredito na mudança e progresso e que toda a pequena coisa faz a diferença. Além das corridas, construí uma família e amo estar com ela. Outros interesses cresceram além da Fórmula 1. A minha paixão por correr e pela Fórmula 1 exige muito tempo longe da família e toma muita energia», referiu, na sua mensagem através do Instagram.

«Os meus objetivos mudaram, de ganhar corridas e campeonatos a ver os meus filhos crescer, passar os meus valores, ajudá-los a levantar quando caírem, ouvi-los quando eles precisam de mim, não ter de dizer adeus e, mais importante, estar apto para aprender com eles e deixar que eles me inspirem. Há muito a explorar sobre a vida e sobre mim. Sobre o futuro, sinto que vivemos tempos decisivos e os próximos anos vão determinar as nossas vidas. Falar não é suficiente, não podemos esperar. Não há alternativa. A corrida está em curso. A minha melhor corrida? Ainda está para vir. Vou encontrar novos desafios. Até à próxima e obrigado por me terem deixado partilhar a pista convosco. Adorei cada bocadinho», declarou.

Relacionados

Patrocinados