FMI alerta: um terço da economia mundial entrará em recessão em 2023

2 jan, 10:32
Sede do FMI em Washington

2023 será "mais difícil" do que 2022, com as economias dos Estados Unidos e da China a desacelerar, a guerra na Ucrânia e com os aumentos da inflação e das taxas de juro

Um terço da economia mundial deverá entrar em recessão em 2023. O alerta é feito pela presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI), em entrevista ao canal de televisão CBS.

Kristalina Georgieva notou que este ano será “mais difícil” do que 2022, uma vez que as economias dos Estados Unidos e da China têm vindo a desacelerar, ao mesmo tempo que continua a guerra na Ucrânia e em que há um aumento da inflação e das taxas de juro.

“Antecipamos que um terço da economia mundial esteja em recessão [em 2023]. Mesmo países que não estão em recessão, haverá uma recessão para centenas de milhões de pessoas” este ano, disse Georgieva, em declarações ao programa Face the Nation, da CBS.

Em outubro, o FMI reviu em baixa as perspetivas de crescimento económico mundial em 2023. Desde essa altura, a China deixou de lado as restrições à Covid e começou a reabrir a economia, mesmo com o número de casos a aumentar exponencialmente no país.

E Pequim, salientou Georgieva, terá um início difícil em 2023. “Os próximos meses serão difíceis para a China. O impacto no crescimento chinês será negativo, o impacto na região será negativo e o impacto no crescimento global será negativo”, disse a responsável.

Economia

Mais Economia

Patrocinados