Exercício online ou treino presencial: qual é melhor?

CNN , Melanie Radzicki
26 jan, 10:00
Dennis Guerrero, coproprietário e instrutor principal na plataforma de fitness Life Outside the Box, dá uma aula virtual a partir da sala da sua casa em Long Beach, Nova Iorque, em 8 de novembro de 2020. Foto: Al Bello/Getty Images

Há vários fatores a ter em conta quando decide se deve dirigir-se ao ginásio ou à sua sala de estar para fazer o próximo treino

Quando a pandemia por coronavírus fechou temporariamente os ginásios em 2020, muitas pessoas decidiram fazer exercício em casa através de aulas virtuais. Mesmo após a reabertura das instalações, grande parte das pessoas preferiu ficar em casa. Provavelmente, é por essa razão que o treino virtual chegou ao topo no Inquérito Mundial de Tendências de Fitness em 2021, uma sondagem organizada anualmente pelo American College of Sports Medicine.

O treino virtual implica o uso de tecnologia de streaming digital para oferecer programas de exercício dirigidos a grupos ou indivíduos e engloba exercícios ao vivo ou gravados anteriormente. Atualmente, a variante Ómicron corre o globo e muitos frequentadores de ginásio ponderam regressar aos treinos virtuais. Parece que esta tendência veio para ficar ou, pelo menos, uma versão dela.

“Prevejo que um modelo híbrido será a tendência no futuro”, afirmou Jennifer Rewkowski, vice-presidente de Saúde e Bem-estar da Comunidade no YMCA da área metropolitana de Atlanta, que oferece treinos presenciais e virtuais. “O mundo mudou muito nos últimos 19 meses no que diz respeito aos horários e locais de trabalho, ao ensino, etc. Para alguns, o mundo a pedido funciona mesmo”, escreveu a empresária por e-mail.

Mas será um formato de treino melhor do que o outro? Segundo os especialistas, depende. Há vários fatores a ter em conta quando decide se deve dirigir-se ao ginásio ou à sua sala de estar para fazer o próximo treino.

Nota importante: Antes de começar um novo programa de exercícios, consulte um médico. Pare imediatamente, se sentir dor. Além disso, consulte as orientações para a Covid-19 na sua área de residência.

Os treinos virtuais são mais acessíveis e menos dispendiosos

Uma das razões mais populares para fazer exercício com um vídeo online é que oferece a máxima conveniência. Não é preciso sair da cama às 5 da manhã para chegar àquela aula de treino às 6 da manhã, que pode já estar cheia quando chegar. Em vez disso, pode fazê-la em casa, quando quiser. E se estiver fora de casa? Não há problema. Pode aceder ao seu treino no telemóvel, tablet ou computador portátil.

Outra vantagem é o preço. As mensalidades dos ginásios podem ser caras, enquanto os treinos virtuais são mais baratos e, às vezes, até são gratuitos. Por exemplo, o YMCA de Irving Park em Chicago, cobra 52 dólares por mês aos adultos (mais de 27 anos), mais uma taxa de inscrição de 52 dólares. Por outro lado, o programa virtual Les Mills+, oferece um período de teste de 30 dias gratuito dos seus mais de 1500 treinos. Se gostar, a subscrição anual custa 9,99 dólares por mês.

No entanto, há uma contrapartida em relação ao preço. Alguns treinos virtuais requerem equipamento específico, como bolas de estabilidade ou pesos, que pode ter de comprar. E se se apaixonar pelo popular treino em casa da Peloton e tiver mesmo de comprar uma das suas bicicletas, prepare-se para desembolsar entre 1500 a 2500 dólares.

Uma pessoa usa a sua bicicleta Peloton em casa em San Anselmo, Califórnia, em 6 de abril de 2020. Foto: Ezra Shaw/Getty Images

De modo geral, os treinos presenciais são mais seguros

Uma das principais desvantagens dos treinos virtuais é a falta de um instrutor especializado para dar feedback. “Quando está num ambiente estruturado e supervisionado, alguém que sabe o que faz pode ajudá-lo”, afirmou John Quindry, presidente da Escola de Fisiologia Integrativa e Treino Atlético da Universidade de Montana. “Se não tiver uma boa postura, se estiver a esforçar-se demasiado, ou não se esforçar o suficiente - tudo isto pode ser corrigido se houver supervisão.”

Martina Knight dá uma pequena aula de barre, em que as participantes respeitam o distanciamento social, no SLO Yoga Center em San Luis Obispo, Califórnia, em 3 de março de 2021. Foto: Al Seib/Los Angeles Times/Getty Images

Martina Knight dá uma pequena aula de barre, em que as participantes respeitam o distanciamento social, no SLO Yoga Center em San Luis Obispo, Califórnia, em 3 de março de 2021.

Além disso, se estiver a fazer exercício em casa e cair, ou sofrer um evento cardíaco ou metabólico, pode ter problemas sérios. Dito isto, as aulas presenciais não são perfeitas no que diz respeito à segurança. Os instrutores podem não reparar na má postura se a aula estiver cheia ou se alguém ficar no fundo da sala intencionalmente por vergonha, explica o especialista.

Quer escolha um ginásio ou uma opção virtual, certifique-se de que os instrutores têm qualificações, principalmente, se tiver uma condição médica preocupante. Qualquer um pode publicar um vídeo online e alguns ginásios contratam instrutores com as qualificações mínimas.

Os treinos presenciais podem ajudá-lo a ser mais responsável

Se frequenta uma aula de ioga ou barre acompanhado todas as terças, é provável que vá, mesmo nos dias em que não lhe apeteça. Afinal de contas, não quer desiludir a sua companhia. Porém, ninguém saberá se faltar a um treino virtual.

Pode ficar mais motivado pela variedade de opções de treino virtuais

As opções de treino presencial dependem muito das instalações. Os ginásios mais pequenos podem oferecer poucas aulas, como ioga, cycling e kickboxing. Outros ginásios podem ter uma maior variedade de aulas, mas cobram mais. As opções virtuais, pelo contrário, oferecem normalmente uma vasta seleção de aulas e esta pluralidade de opções pode ser aquilo de que precisa para afastar o aborrecimento e continuar motivado para fazer exercício regularmente.

Independentemente da sua preferência, treinos presenciais, sessões virtuais, ou um pouco de cada, o que interessa é manter-se ativo, afirma Jafra Thomas, professor auxiliar no Departamento de Cinesiologia e Saúde Pública na Universidade Politécnica Estadual da Califórnia em San Luis Obispo.

“Infelizmente, a cultura em torno do exercício físico encoraja a comparar-nos a padrões de beleza artificial, ou a ter expectativas irrealistas da altura em que se verá os benefícios”, explica. “Embora a valorização do movimento seja raramente encorajada pelos criadores de conteúdo ou instrutores, a atividade física traz muitos benefícios para a saúde.”
 

Vida Saudável

Mais Vida Saudável

Patrocinados