Filipinas acusam navio chinês de usar laser para "cegar temporariamente" a tripulação

13 fev 2023, 12:16
Navio chinês lança laser. Foto: Guarda Costeira Filipina

Incidente terá ocorrido a 6 de fevereiro. Mas esta não é a primeira vez que as Filipinas denunciam a China por "ações agressivas" nesta região

É mais um episódio tenso no disputado Mar da China Meridional. As Filipinas acusaram esta segunda-feira um navio da guarda costeira chinesa de atingir um navio da guarda costeira filipina com um laser de nível militar e "cegar temporariamente" alguns dos seus tripulantes, naquilo que consideram ser uma violação “flagrante” dos direitos soberanos de Manila.

Segundo a denúncia, divulgada pela CNN, a embarcação chinesa também terá efetuado manobras perigosas perto do navio - cerca de 137 metros (449 pés) - para impedir que o navio patrulha filipino BRP Malapascua se aproximasse do Second Thomas Shoal, um recife submerso que foi ocupado por forças filipinas, a 6 de fevereiro.

Importa referir que a China reivindica o Mar da China Meridional, que compreende a área que vai desde Singapura até ao estreito de Taiwan, praticamente na sua totalidade. Apesar da tentativa de aproximação do ex-presidente filipino Rodrigo Duterte e do sucessor, Ferdinand Marcos Jr. - que se encontraram com o líder chinês Xi Jinping em janeiro em Pequim - as tensões persistiram, atraindo uma aliança militar mais próxima entre as Filipinas e  os Estados Unidos.

Embora a guarda costeira chinesa já tenha tentado bloquear os navios da guarda costeira filipina nestas águas no passado - aliás, só em 2022, as Filipinas apresentaram quase 200 protestos diplomáticos contra as ações agressivas da China - esta foi a primeira vez que usou lasers e causou sofrimento físico entre o pessoal filipino, disse o porta-voz da guarda costeira filipina, Armand Balilo, à Associated Press.

“O navio chinês lançou a luz laser verde duas vezes em direção ao BRP Malapascua, provocando cegueira temporária na tripulação na ponte”, refere o comunicado.

A embarcação filipina foi forçada a afastar-se da área, onde escoltava uma embarcação de abastecimento que entregava alimentos e tripulação a um navio sentinela da marinha filipina, o BRP Sierra Madre, que desde 1999 está encalhado na Second Thomas Shoal, relata a guarda costeira.

“O bloqueio deliberado dos navios do governo filipino para entregar alimentos e bens para o nosso pessoal militar a bordo do BRP Sierra Madre é um flagrante desrespeito e uma clara violação dos direitos soberanos filipinos nesta parte do Mar das Filipinas Ocidental”, refere ainda o comunicado, que usa o nome que as Filipinas adotaram para esta parte das águas ao largo da sua costa ocidental.

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Mais Lidas

Patrocinados