Ministro da Saúde anuncia que Fernando Araújo é o novo diretor-executivo do SNS

23 set, 12:08

Manuel Pizarro anunciou ainda que a nova sede da Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde será no Porto

O Ministro da Saúde anunciou, esta sexta-feira, que Fernando Araújo aceitou o convite para ser o primeiro diretor-executivo do SNS. Fernando Araújo, presidente do Centro Hospitalar Universitário de São João desde abril de 2019, reuniu-se esta sexta-feira de manhã no Ministério da Saúde, em Lisboa, com Manuel Pizarro.

"O Governo, através do ministro da Saúde, dirigiu ao professor Fernando Araújo um convite para que ele venha a ser nomeado como primeiro diretor executivo do Serviço Nacional de Saúde e é, naturalmente, com muita satisfação que posso anunciar que o professor Fernando Araújo anunciou e será nomeado, num futuro próximo, diretor-executivo do SNS. Fernando Araújo é uma personalidade bem conhecida dos portugueses, um profissional de méritos reconhecidos. Julgo que ninguém no país tem quaisquer dúvidas que é uma personalidade que tem todas as condições para dar ao SNS um aporte em matéria de gestão que reconhecemos ser muito necessário", afirmou Manuel Pizarro.

O ministro anunciou ainda que a nova sede da Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde será na cidade do Porto.

"Foi proposto pelo diretor-executivo que a sede da nova instituição seja localizada no Porto e que entendemos que essa proposta é consentânea com a intenção de descentralização do Governo. O novo estatuto irá esclarecer que a nova sede ficará localizada no Porto", anunciou Manuel Pizarro.

Questionado sobre se já foram escolhidos os restantes membros da direção-executiva do SNS, Manuel Pizarro respondeu que essa escolha cabe ao próprio Fernando Araújo: "Competirá ao diretor-executivo indicar, com total autonomia, os elementos da equipa de gestão que o vai acompanhar. Presumo que tratará de reunir pessoas que tenham experiência no sistema de saúde e nas diferentes áreas que a direção executiva tem de tutelar."

A escolha de Fernando Araújo foi oficialmente confirmada por Manuel Pizarro em conferência de imprensa, em Lisboa, depois do nome do médico ter sido amplamente apontado como titular do cargo.

Fernando Araújo promete "melhoria do desempenho" do SNS

Tomando depois a palavra, e numa breve declaração, Fernando Araújo disse ter recebido este convite "com uma enorme honra" e prometeu "trabalhar ativamente na melhoria do desempenho do SNS". 

"Aceitei [este convite] com sentimento de dever na defesa intransigente do nosso Serviço Nacional de Saúde, dos seus profissionais e dos utentes, que é para eles que trabalhamos todos os dias", começou por dizer.

"Vamos aguardar pela nomeção nos termos legais e, a partir daí, proceder à instalação desta nova estrutura e, acima de tudo, prepararmo-nos para, a partir de 1 de janeiro, começar a trabalhar ativamente na melhoria do desempenho do nosso SNS", prometeu, finalizando assim a conferência de imprensa.

O anúncio foi feito no dia em que foi publicado no Diário da República o diploma do Governo que regulamenta a direção executiva, a nova entidade prevista no novo Estatuto do SNS promulgado pelo Presidente da República no início de agosto.

A direção executiva do SNS, que entra em funções a 1 de outubro, vai coordenar toda a resposta assistencial do SNS, assegurando o seu funcionamento em rede, e passa a gerir também a rede nacional de cuidados continuados integrados e da rede de cuidados paliativos, até agora da responsabilidade das administrações regionais de saúde.

Fernando Araújo irá agora escolher a equipa que terá uma liderança de seis pessoas (incluindo o diretor-executivo) e um total a rondar as 40 pessoas, que depois trabalharão com outros serviços do Estado na Saúde.

Ministério da Saúde retoma negociações com sindicatos nas próximas semanas

Na mesma conferência de imprensa, Manuel Pizarro foi questionado pelos jornalistas sobre o estado das negociações com os sindicatos que representam os médicos e os enfermeiros, que foram interrompidas com a demissão de Marta Temido, no final de agosto.

“Nós devemos uma palavra, quer aos sindicatos médicos, quer aos sindicatos de enfermeiros, que tinham processos de negociação em curso que foram naturalmente interrompidos com a mudança do membro do Governo responsável pela área da saúde”, disse Pizarro.

“O que posso garantir é que as negociações, quer com os enfermeiros, quer com os médicos, serão retomadas nas próximas semanas, assumindo o Governo todos os compromissos que já estavam estabelecidos”, afirmou, assegurando, depois que o processo de negociação será retomado no ponto em que ficou com a antiga equipa ministerial, tutelada por Temido.

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados