Conceição: «O Grujic não tem de ser o Vitinha, Vitinha é passado»

Vítor Hugo Alvarenga , Centro de estágio do Olival
13 ago, 13:10
FC Porto-Tondela (LUSA/MANUEL FERNANDO ARAUJO)

Treinador do FC Porto falou sobre as alterações no setor intermediário dos dragões

Marko Grujic tem feito dupla com Matheus Uribe no setor intermediário do FC Porto, ocupando o espaço que foi de Vitinha na época passada. Confrontado com esse cenário, Sérgio Conceição reconhece que o sérvio e o português têm caraterísticas diferentes e fala sobre a adaptação do modelo à nova realidade.

«São jogadores completamente diferentes. Temos de ajustar o nosso modelo, a nossa estrutura, a dinâmica, aos jogadores que temos à disposição. É promovendo ao máximo aquilo que são as caraterísticas dos jogadores que fazemos um onze forte», começou por dizer.

Sérgio Conceição não espera de Grujic o que pedia a Vitinha, transferido neste verão para o Paris Saint-Germain: «O Grujic não tem de ser o Vitinha, o Vitinha faz parte do passado. É um jogador com determinadas caraterísticas que fez uma época extraordinária, mas agora não está o Vitinha, estão outros médios que dão coisas diferentes ao jogo, também positivas.»

«Se dissermos que o Vitinha percorria determinados espaços, gostava mais de estar numa primeira fase de construção do que nos último terço, se quiseremos dizer que o Marko é um jogador mais defensivo, não estou nada de acordo, também tem essa capacidade de chegar, apesar de ter caraterísticas diferentes», acrescentou, completando: «Faz parte do nosso trabalho, tentar dar coisas diferentes. Como disse antes da Supertaça, temos de nos reinventar, para que os jogadores que estão disponíveis se sentirem confortáveis em determinada dinâmica.»

Em conferência de imprensa, o treinador do FC Porto falou ainda sobre o tempo útil de jogo: «Tivemos uma reunião aqui com os árbitros e foi muito bom essa partilha. Devia promover-me mais esse tipo de encontro. Todos nós temos de contribuir. Pelo que foi mostrado, o tempo perdido pelo VAR é menos que as substituições, é menos que a reposição de bola dos guarda-redes ou as lesões dos guarda-redes. São coisas em que podemos melhorar. Mas sei que as equipas que vêm ao Dragão não são tão fortes e têm as suas estratégias.»

«Eu já estive do outro lado e nunca queimei tempo dessa forma. Metia 11 jogadores a defender atrás da linha da bola e no meu terço defensivo, mas há outros que não pensam dessa forma. Por vezes, é o próprio jogador a provocar essa perda de tempo. Lá está, todos os intervenientes do jogo podem e devem melhorar, incluindo eu. Estamos nos três últimos em tempo útil de jogo, na Europa toda. Também falarmos de outras situações, dos bancos, das confusões nos bancos, tudo isso é importante que se fale, mas depois que se dê um passo em frente», rematou Sérgio Conceição.

O Vizela-FC Porto, encontro referente à 2.ª jornada da Liga 2022/23 realiza-se no domingo, a partir das 18h00, no Estádio do Vizela.

Relacionados

Patrocinados