Conceição: «Se o árbitro falar com o banco, vou para a casota»

Vítor Maia , Olival, Vila Nova de Gaia
19 ago, 13:25

Se inicialmente não percebeu a quem o árbitro tinha exibido cartão amarelo em Vizela, o treinador do FC Porto admitiu que este foi bem mostrado, uma vez que saiu da área técnica, e abordou ainda o mercado

Depois de ter elogiado a reunião com os árbitros antes da partida em Vizela, Sérgio Conceição viu um cartão amarelo durante o encontro contra os minhotos, referente à segunda jornada da Liga. Em véspera do Clássico com o Sporting, o técnico do FC Porto confessou não ter percebido a quem o árbitro exibiu o amarelo, mas admitiu que este foi justificado.

«Tenho conversas com o grupo de trabalho e com a família, que é grande, e parece um grupo de trabalho (risos). Tivemos aqui uma reunião com os árbitros que foi proveitosa. Foi dito pelo Conselho de Arbitragem que não teríamos árbitros estrangeiros nomeados, mas agora está nomeado um árbitro estrangeiro [ndr: para o Casa Pia-Boavista]. Este tipo de reuniões são importantes, mas é preciso dar um passo em frente. Nem sabia que o amarelo era para mim. Estava a falar com o Pepe e nem sabia onde estava a falar. Mas o árbitro tem razão no amarelo, estava quase na linha lateral e nem me tinha apercebido. Podia ter-me dito 'olhe, amigo, a sua área técnica'. E eu ia para a minha área técnica. Mas ele veio logo com o cartão. Foi por estar a falar com o Pepe que vi amarelo», explicou antes de prosseguir. 

«Há uma tentativa de acalmar os bancos, mas em que sentido? Acho que isso até é pior. Se o árbitro ou o quarto árbitro falar com o banco, eu vou para dentro da minha área técnica, vou para a 'casota'. Se quiserem que esteja amarrado, não consigo. Se não, dá-me um ataque. O público vibra, os jogadores jogam numa intensidade máximo e nós no banco, estamos... Não. Não sou assim. Os ex-jogadores vivem o futebol de uma forma um bocadinho mais forte. Têm de haver regras, mas se não há faltas de respeito ou insultos, mas se apenas se está a viver o jogo, é um exagero.»

Por último, Conceição recusou falar sobre o mercado quando questionado se sentia ter uma equipa capaz para repetir os feitos da última época.

«É uma questão muito interessante, mas vou responder da forma que fiz sempre: fica ao pé do cão, o Dragão. É macho, não é? Fica à porta do Olival. Não falo de mercado, muito menos antes dos jogos. Tenho um plantel capaz, mas queremos sempre mais. Mesmo que saísse quem saiu, continuaria a ter plantel capaz, incluindo dois ou três jogadores da B. Mas capaz para quê? É isso! Não vou responder», atirou.

O FC Porto-Sporting joga-se este sábado, às 20h30, no Dragão e vai ser apitado por Nuno Almeida.

Relacionados

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados