Saiba tudo sobre o Euro aqui

20 anos de Gelsenkirchen: o que as grandes estrelas do futebol mundial pensavam do FC Porto em 2004

26 mai, 09:13
FC Porto campeão europeu (EPA/OLIVER MULTHAUP)

De Bobby Charlton a Klismann, de Boniek a Mário Zagallo, todos eles falaram ao Maisfutebol antes da final

Consegue imaginar uma equipa portuguesa na final da Liga dos Campeões? Pois, é difícil, não é? Em 2004 não era muito diferente. Basta recordar que nos cinco anos seguintes os finalistas foram sempre Milan, Liverpool, Barcelona, Arsenal, Manchester United e Chelsea.

Ora por isso, o Maisfutebol apresentou na semana anterior à final de Gelsenkichen um conjunto de entrevistas exclusivas com algumas das grandes estrelas do futebol mundial.

O objetivo era elas falarem do FC Porto e 20 anos depois é interessante perceber como a equipa de Mourinho era visto lá fora, antes de se sentar no trono do futebol europeu. De Bobby Charlton a Klismann, de Boniek a Mário Zagallo, todos eles passaram por aqui.

Bobby Charlton

  • Mítica estrela de Inglaterra e do Manchester United

«O FC Porto ganhou a Taça UEFA na época passada, portanto para mim não foi uma completa surpresa esta campanha na Liga dos Campeões. Além disso voltou a conquistar o título português e só um idiota era capaz de dizer que não tem realmente hipóteses nesta final. Para muitas pessoas foi uma surpresa o FC Porto eliminar o Manchester United, mas para mim não foi. Trata-se de uma das melhores equipas da Liga dos Campeões. Gosto sobretudo da capacidade tática do F.C. Porto, 9da forma como os jogadores se envolvem, a bola circula sempre muito bem entre todos. Mantêm sempre as suas posições em campo, jogam muito unidos e são difíceis de bater. É uma equipa com bons elementos. Quem destaco? Vários, ma acima de todos o McCarthy. Como avançado é muito perigoso em frente à baliza.»

Jürgen Klinsmann

  • Estrela de Bayern e Inter Milão, campeão e vice-campeão do mundo pela Alemanha

«Vencer a Taça UEFA e estar presente na final da Liga dos Campeões em ano anos seguidos significa que ultrapassou constantemente as principais equipas europeias e por isso ganhou um lugar entre as equipas de elite com todo o mérito. Para além disso, a forma como venceu o campeonato português impressiona. Destaco sobretudo a alta qualidade e o equilíbrio desenvolvido por Mourinho junto da equipa. Costinha e Deco têm-me impressionado pela forma como jogam e se relacionam em campo, o deu ao FC Porto um dos melhores meios-campos da Europa. O Deco cria problemas a qualquer adversário. Para além disso, ainda há McCarthy e Derlei na frente, que são difíceis de parar. Acho que vai ser uma final com golos e mais entusiasmante do que as pessoas imaginam. Quem estiver mais forte mentalmente vai vencer. No fim de contas, penso que haverá muito de jogo psicológico».

Mário Zagallo

  • Tetracampeão mundial pelo Brasil como jogador, treinador e coordenador técnico

«Vai ser uma final equilibrada, entre duas equipas bem trabalhadas e que mereceram chegar à final. Acompanhei vários jogos do FC Porto e tenho de lhe dar os parabéns, pois trata-se de uma equipa bem armada, consistente e que mostrou o seu valor fora de casa. Dá toda a sensação de que é uma equipa madura, porque empatar em casa, ir fora e, quando tudo levava a crer que o adversário ganharia, vencer como fizeram na Corunha, revela consistência. Nesta altura já não se ganha só com qualidade. Veja o caso do Real Madrid, que está recheado de estrelas e não ganhou nada. Claro que a qualidade é importante, mas a condição física e a mentalidade são fundamentais. As conquistas do FC Porto nos últimos anos mostram a capacidade do treinador, mas também do próprio clube, porque antigamente quem mandava era o Benfica e hoje é o Porto que dá ordens. Carlos Alberto? É um garoto ainda muito novo, que eu conheço bem. Acho que pode ter um futuro brilhante, mas o tempo é que vai determinar.»

Jean-Marie Pfaff

  • Guarda-redes belga, que fez carreira no Bayern Munique e foi eleito um dos melhores da história

«Já sei, quer falar do F.C. Porto. Vai ter um jogo muito duro frente ao Mónaco, mas todas as finais europeias são assim. Vai ser um jogo rápido, porque o futebol atual vive de velocidade e de técnica. O Mónaco joga muito bem dessa forma, em velocidade e com técnica. Vi o Corunha-F.C. Porto pela televisão e gostei sobretudo da atitude da equipa. Impressionou-me o comportamento táctico do F.C. Porto, a forma como a equipa se comporta em campo. Tem um bom treinador e que montou um conjunto coeso em todos os setores, o que não é muito vulgar nas equipas que não têm o dinheiro do Real Madrid. É um exemplo a seguir. Por outro lado, o Mónaco tem um futebol rápido e varia muito o jogo entre os dois flancos. Vai ser muito difícil para o F.C. Porto, mas não consigo ver um favorito. Imagino que vá ser uma final dura e de grande concentração, que talvez só se desempate nas grandes penalidades.»

Boniek

  • Antiga estrela da grande Juventus dos anos 80 e da seleção polaca

«Ganhei a Taça das Taças frente ao F.C. Porto. Desde 1984 que guardo um carinho muito especial por esse clube. Depois, porque o meu grande amigo Mlynarczyk transferiu-se para o F.C. Porto na época seguinte. Foi assim que começou a minha secreta admiração. Agora, claro, vou apoiar o FC Porto na final da Liga dos Campeões. Sabe jogar como equipa e sempre que tem a bola é muito rápido a partir para o ataque. É uma equipa sem individualidades, mas onde se destaca Deco, claramente a grande estrela. Mas a força deste F.C. Porto é o conjunto, a forma como é uma equipa organizada e na qual o treinador fez um grande trabalho. Como é que ele se chama? Mourinho, isso. Diz-se que vai para aqui e para acolá. Mas é para o Chelsea que vai, não é? A final da Liga dos Campeões será um jogo muito equilibrado. O Mónaco é uma equipa perigosa, o Giuly é muito rápido e o Morientes tem faro de golo. Numa final tudo é possível. Mas por aquilo que sinto pelo F.C. Porto, espero que seja o F.C. Porto a ganhar. Aliás, sempre gostei do futebol português, desde os tempos de Torres, Coluna e Eusébio. Era miúdo e deliciava-me. Hoje tenho uma grande admiração pelo Rui Costa. Digo sempre isto: se o futebol não tivesse golos, Portugal seria campeão do mundo. O vosso problema é não marcar golos.»

Júnior

  • Glória do Flamengo e da seleção brasileira

«Acho que o FC Porto tem todas as condições para ser campeão europeu, principalmente pelo que mostrou no segundo jogo com o Deportivo. Na primeira mão esteve um pouco abaixo do que pode fazer, apesar do resultado não ter sido totalmente desfavorável. Na segunda mão fez um ótimo jogo, sempre com velocidade, e foi um justo vencedor. É uma equipa que tem um grande entrosamento, para além das qualidades individuais de jogadores como o Deco, o Derlei e o Costinha, que é um operário, um jogador que faz um trabalho de sacrifício para os outros da frente. Mas o que mais destaco é o coletivo. O Carlos Alberto é um jovem, só tem 18 anos e muita coisa para aprender, mas se mantiver a capacidade de evoluir poderá tornar-se um dos grandes jogadores da Europa. Seleção brasileira? Ainda é muito cedo. No Brasil há Ronaldinho Gaúcho, Kaká e muitos outros. No futuro talvez, mas hoje ainda é cedo.»

Michel

  • Antiga estrela do Real Madrid, um dos expoentes da Quinta del Buitre e da seleção espanhola, agora treinador

«Surpreende-me que as pessoas estejam surpreendidas. Enquanto muita gente fala de nomes, o F.C. Porto trabalha. Por isso está na final com todo o mérito. Acho que o Mourinho preparou muito bem a equipa, não só este ano, e conseguiu dar ao clube uma trajetória muito interessante. Pelo que se tinha visto no ano passado, na Taça UEFA, já se percebia que isto podia acontecer. Este ano, quando vi a equipa na fase de grupos, a jogar com o Real Madrid e o Marselha, percebi que era dos conjuntos mais consistentes, um conjunto muito bem formado, muito personalizado e com um cunho pessoal de Mourinho muito vincado. Com o Real Madrid, por exemplo, perderam, mas jogaram bem melhor. Muita gente fala do Deco, mas o trabalho do Alenitchev e do Maniche é importantíssimo. É certo que a equipa perdeu com a lesão de Derlei, faltam golos a Carlos Alberto, mas Mourinho conseguiu retirar um rendimento muito interessante de McCarthy, e manteve o mais forte da equipa, a consistência defensiva, principalmente de Costinha. Os laterais são interessantíssimos e o Ricardo Carvalho é um central com lugar em qualquer equipa do Mundo. O Mourinho, por outro lado, ganhou todos os títulos em que participou nestes dois anos, campeonato, Taça de Portugal, Supertaça portuguesa, Taça UEFA, está na final da Liga dos Campeões. Para mim, neste momento, Mourinho é o treinador mais importante da Europa.»

Patrocinados