Famalicão suspende diretor desportivo suspeito de assédio sexual

1 out, 11:02

Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol instaurou um processo disciplinar a Samuel Costa

O Famalicão anunciou este sábado a suspensão imediata de funções de Samuel Costa, por mútuo acordo, depois de o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol ter instaurado um processo disciplinar ao diretor desportivo da equipa feminina por suspeitas de assédio sexual, como o Maisfutebol adiantou.

«Vou-me defender. Nunca assediei ninguém. Vou-me defender até às últimas consequências», garantiu Samuel Costa ao Observador, na sexta-feira à noite. O jornal adianta ainda que as suspeitas que recaem sobre o atual diretor desportivo do Famalicão estão relacionadas com o período em que Samuel Costa desempenhava funções idênticas no V. Guimarães, na época 2020/21. Depois de V. Guimarães e antes do Famalicão,Samuel passou pela equipa feminina do Valadares Gaia.

Este afastamento surge um dia depois da também suspensão de Miguel Afonso, treinador da equipa feminina do clube minhoto, após denúncias feitas por jogadoras aquando da passagem deste técnico pelo Rio Ave.

Em comunicado, o Famalicão refere que a suspensão vigorará até ser apurada a verdade dos factos que motivação a abertura de um processo por parte do CD e diz que não tolerará e que vai «fazer tudo» para erradicar comportamentos abusivos que identifique, mostrando-se ainda disponível para colaborar com as autoridades competentes no sentido do apuramento da verdade.

Na mesma nota, o clube afasta-se das denúncias que recaem quer sobre o diretor desportivo Samuel Costa, quer sobre o treinador Miguel Afonso. «Não deve-se ser, por qualquer forma, imputadas [as denúncias] à instituição Famalicão nem as seus adeptos e restantes pessoas que diariamente connosco trabalham para elevar este emblema.»

Recorde-se que este tema foi levantado numa notícia de quinta-feira do jornal Público, em que jogadoras que alinharam no Rio Ave na época 2020/21 denunciaram o comportamento do técnico Miguel Afonso. No dia seguinte, várias atletas - não apenas as que passaram pelo clube de Vila do Conde, formalizaram queixas por assédio sexual contra o treinador na Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que já tinha instaurado um processo para averiguar o caso. 

Também na sexta-feira, o Conselho de Disciplina (CD) da FPF instaurou um processo disciplinar a Miguel Afonso, atual diretor desportivo da equipa feminina do Famalicão. O CD decidiu criar uma equipa especial para se dedicar com urgência à instauração dos processos criados na sequência de denúncias de assédio.

Tita, antiga capitã do Benfica e internacional AA por Portugal, veio a público garantir que também foi vítima de assédio sexual ao longo da sua carreira, prometendo apresentar queixa de imediato.

COMUNICADO NA ÍNTEGRA:

(artigo atualizado)

Relacionados

Patrocinados