Fake News: sindicato realça que desinformação só pode ser combatida com maior literacia

Agência Lusa , DCT
12 out 2022, 14:30
Quiosque (AP Photo/Mark Lennihan)

O dirigente realçou ainda o encontro nacional por ser um momento de troca de experiências e permitir ter “uma noção mais sólida dos caminhos” que terão de ser seguidos

O presidente do Sindicato dos Jornalistas (SJ), Luís Filipe Simões, defendeu esta quarta-feira que a desinformação “só pode ser combatida” com uma população com níveis de literacia elevados.

“A desinformação só pode ser combatida com uma população com níveis de literacia elevados. Os jornalistas são quem melhor pode compreender o fenómeno e só os professores sabem como se deve levar este tema até às salas de aula”, afirmou o dirigente sindical, que falava na sessão de abertura do 2.º Encontro Nacional de Literacia para os Media e Jornalismo, que decorre na Escola Secundária Quinta das Flores, em Coimbra.

Para Luís Filipe Simões, o projeto Literacia para os Media e Jornalismo tem permitido “formar cidadãos menos vulneráveis à desinformação”, com “mais capacidade crítica e mais preparados para diferenciar o que é importante do que é acessório”, mas também “certamente dispostos a pagar por um bem cada vez mais escasso e precioso, que é a informação”.

O presidente da direção do SJ realçou que cada “jovem com conhecimentos mediáticos sólidos”, que consiga distinguir entre o que é e o que não é jornalismo, “é uma vitória”.

“É uma vitória para todos nós, enquanto sociedade”, acrescentou.

O dirigente realçou ainda o encontro nacional por ser um momento de troca de experiências e permitir ter “uma noção mais sólida dos caminhos” que terão de ser seguidos.

Para Luís Filipe Simões, a desinformação é “uma das mais sérias ameaças à democracia”, contribuindo também para o momento “muito difícil” que o jornalismo vive, com o aumento do preço do papel, a quebra nas vendas e audiências e desinvestimento por parte das empresas do setor.

“Este projeto será uma das formas mais importantes de defender não só o jornalismo como a sociedade”, vincou, notando as incoerências dos tempos correntes, em que a desinformação acaba por ganhar mais espaço numa sociedade que nunca teve níveis de escolaridade tão elevados.

O encontro, em formato híbrido – presencial e ‘online’ – destina-se a professores, alunos e jornalistas, debatendo as implicações do fecho das escolas durante a pandemia na formação de Literacia para os Media e partilhando algumas boas práticas adotadas.

A Direção-Geral da Educação organiza o encontro em parceria com o Sindicato de Jornalistas, o Centro Protocolar de Formação Profissional de Jornalistas, a Rede de Bibliotecas Escolares e o Centro de Formação de Associação de Escolas Nova Agora.

País

Mais País

Patrocinados