Executivo da Meta culpa utilizadores por espalharem desinformação

14 dez 2021, 09:37
Andrew Bosworth, executivo da Meta (AP)
Andrew Bosworth, executivo da Meta (AP)

Andrew Bosworth afirma que em democracia “as pessoas são livres de procurar a informação que querem”

PUB

Um executivo da Meta, anteriormente conhecida como Facebook, rejeita qualquer responsabilidade da empresa na propagação de desinformação nas suas redes sociais, apontando o dedo aos utilizadores.

“Os humanos, individualmente, é que escolhem acreditar ou não acreditar numa coisa. São eles que escolhem ou não partilhar algo. Vocês têm um problema com essas pessoas, não com o Facebook. Não me podem responsabilizar por isso”, afirmou Andrew Bosworth, numa entrevista à Axios.

PUB

Questionado sobre as acusações de que a empresa facilita a propagação de informações falsas sobre a pandemia, o executivo diz que em democracia “as pessoas são livres de procurar a informação que querem”.

A Meta tem enfrentado críticas, até do próprio presidente norte-americano Joe Biden, por ser um dos veículos pelos quais informações falsas sobre vacinas circulam sem qualquer controlo.

“Estão a matar pessoas. A única pandemia que temos é entre os não vacinados. Estão a matar pessoas”, afirmou Biden, numa conferência de imprensa em julho passado.

PUB
PUB
PUB

Bosworth assumirá o cargo de CTO da Meta no próximo ano. Num memorando interno datado de 2016, a propósito das eleições americanas desse ano, o executivo defendeu a não remoção de informação falsa propagada pela campanha de Donald Trump.

“Apesar de ser tentador usar as nossas ferramentas para mudar o rumo das eleições, acredito que não o devemos fazer, senão correremos o risco de nos transformar naquilo de que temos medo”, atirou, na altura, Bosworth.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Tecnologia

Mais Tecnologia

Patrocinados