Militar do curso de comandos que foi transplantado teve alta

Agência Lusa , MJC
8 out 2022, 21:30
Recruta dos Comandos está entre a vida e a morte: como tudo aconteceu

O militar encontra-se já em “convalescença no seu domicílio" e vai continuar a ser "acompanhado de forma próxima”

O militar do curso de comandos que foi sujeito a um transplante hepático teve alta do Hospital Curry Cabral na sexta-feira, perante as melhorias registadas no seu estado clínico, informou este sábado o Estado-Maior do Exército.

“O militar do Exército que se encontrava internado no Hospital de Curry Cabral, por ter sido sujeito a intervenção cirúrgica para transplante hepático, obteve alta hospitalar no dia 7 de outubro de 2022, no seguimento das melhorias registadas”, avançou este ramo das Forças Armadas em comunicado.

Segundo adiantou, o militar encontra-se já em “convalescença no seu domicílio" e vai continuar a ser "acompanhado de forma próxima”, através de consultas de seguimento clínico no Hospital de Curry Cabral, decorrentes do tipo de intervenção cirúrgica a que foi sujeito.

Em 10 de setembro, o Estado-Maior do Exército ordenou a interrupção do 138.º Curso de Comandos até ao apuramento do processo de averiguações, depois de dois militares terem sido hospitalizados.

Dez dias depois, a ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras, afirmou esperar conclusões do processo de averiguações no prazo de uma ou duas semanas, defendendo que as investigações devem ser “precisas e rigorosas”.

O Exército indicou um total de seis intervenções em estabelecimento hospitalar no âmbito do 138.º curso: ao militar que foi transplantado, a um segundo militar que sofreu uma interrupção respiratória e que teve alta nos dias seguintes, e ainda a quatro militares no Hospital das Forças Armadas, no polo de Lisboa, “decorrente da revista de saúde feita a todos os instruendos, em 08 de setembro”.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que visitou o militar hospitalizado e que foi sujeito a um transplante hepático, afirmou em 11 de setembro que este caso parecia ser "uma situação muito diferente" da ocorrida há seis anos, quando morreram dois jovens num exercício.

Relacionados

País

Mais País

Mais Lidas

Patrocinados