Exército vai suspender curso de Comandos. Militar hospitalizado recebe transplante de fígado

10 set, 19:59
Militares da primeira força nacional destacada para a Roménia. Foto: José Sena Goulão/Lusa

Exército quer terminar o processo de averiguações antes de retomar as atividades, que levaram dois militares ao hospital

O militar que sofreu paragens cardiorrespiratórias enquanto participava num curso dos Comandos esta semana vai receber um transplante de fígado. O Exército decidiu ainda suspender o curso, até ter as conclusões sobre o sucedido nos exercícios.

“Por determinação do General Chefe do Estado-Maior do Exército, encontram-se interrompidas as atividades do 138.º Curso de Comandos, até se apurarem, com brevidade mas com a máxima precisão, as conclusões do Processo Averiguações e da Inspeção Técnica Extraordinária aquela ação de formação militar”, pode ler-se num comunicado divulgado este sábado pelo Exército.

O homem que será alvo de um transplante hepático foi hospitalizado na quarta-feira, após paragens cardiorrespiratórias sofridas durante e depois dos treinos. Encontra-se internado na Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital de Curry Cabral, em Lisboa. A situação é “estável, mas com assumida insuficiência hepática”, informou o Exército.

“Perante este quadro, foi tomada a decisão médica de proceder a transplantação hepática, a ocorrer quando estiverem reunidas as condições técnicas e logísticas”, concretizou.

Dois militares participantes de um curso de Comandos foram hospitalizados na passada quarta-feira, na sequência de paragens cardiorrespiratórias sofridas durante e depois dos treinos.

Um dos alunos ter-se-á sentido mal durante um exercício de corrida de cinco quilómetros e foi assistido no local, onde foram realizadas manobras de reanimação. Foi Hospital São Francisco Xavier – onde esteve “sedado e ventilado” - e, posteriormente, transferido para o Curry Cabral.

Já o outro colega, que ter-se-á sentido indisposto durante o jantar, também sofreu uma paragem cardiorrespiratória, tendo sido transportado para o Hospital Amadora-Sintra. Este último teve alta na quinta-feira, para “permanecer, devidamente acompanhado", no Regimento de Comandos.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados