O primeiro avião elétrico do mundo está "à procura" de um CEO

CNN , Jennifer Korn
26 fev, 23:00
Eviation

A Eviation, a empresa por trás daquele que deveria ser o primeiro avião de passageiros completamente elétrico do mundo, passou por uma mudança inesperada de liderança pouco antes do primeiro voo planeado do avião - e a empresa e o agora antigo CEO oferecem diferentes perspetivas sobre a situação.

A Eviation, uma empresa com sede em Israel, disse que tem planeadas três versões do seu avião completamente elétrico: uma versão “viajante regular” com nove passageiros e dois pilotos, uma versão executiva com seis passageiros e uma versão para transporte de carga. A empresa disse que a versão de nove passageiros, à qual chama “Alice”, tem uma autonomia de cerca de uma hora e 440 milhas náuticas, após 30 minutos de carregamento.

Inicialmente, a Eviation pretendia que o Alice decolasse antes de 2022, mas disse que as más condições climatéricas no noroeste do Pacífico, no final do ano, dificultaram os testes. O Alice tem feito vários testes no solo desde o final de 2021 e, no mês passado, o então CEO Omer Bar-Yohay disse à CNN Business que o primeiro voo estava “a apenas algumas semanas”. Naquela altura, Bar-Yohay não referiu qualquer mudança iminente de CEO.

Omer Bar-Yohay. 
Kobi Wolf/Bloomberg/Getty Images

Recentemente, Bar-Yohay, que também foi cofundador da Eviation, deixou a empresa após sete anos e foi substituído pelo CEO interino e atual presidente da Eviation, Gregory Davis. A empresa diz que a mudança faz parte de um “processo de sucessão planeado”, à medida que a Eviation muda da fase de planeamento para a fase de produção do Alice, segundo um comunicado. Está a decorrer um processo para contratação de um executivo para preencher o cargo de CEO a longo prazo, disse a empresa.

Mas Bar-Yohay afirmou que, embora esteja na hora de haver uma nova direção, a saída dele resulta de um conflito dentro da empresa.

“Isto faz, sem dúvida, parte de uma progressão natural. Está na hora de a empresa virar a página e fazer realmente a transição do protótipo para a produção”, disse Bar-Yohay à CNN Business. “Dito isto, há um desacordo de longa data no “como e o quê” a empresa precisa de fazer daqui para a frente, e isso gerou algum atrito entre mim e o principal acionista da empresa.”

Bar-Yohay recusou-se a responder a perguntas sobre a natureza do desacordo. Embora Bar-Yohay tenha dito que a mudança não é um grande choque, ele não sabia como e quando seria anunciada.

O principal acionista da Eviation é Richard Chandler, o bilionário neozelandês dono do Clermont Group. O Clermont Group, com sede em Singapura, inclui a MagniX, empresa irmã da Eviation e fornecedora dos sistemas de propulsão. No mês passado, o presidente executivo da Eviation e CEO da MagniX, Roei Ganzarski, deixou ambas as funções. “Acredito que algumas das razões subjacentes [para as nossas saídas] são semelhantes”, disse Bar-Yohay. “Não havia como fazer isto de outra forma.” O Clermont Group não respondeu aos vários pedidos de comentários.

Embora Ganzarski não tenha comentado as razões por trás da saída de ambas as empresas, ele fez o anúncio no mês passado “com o coração pesado”, segundo uma publicação no seu LinkedIn. “Não tenho dúvidas de que o futuro da aviação é elétrico. Tem de ser, pelo bem dos nossos filhos e netos. Já não é uma questão de ‘se’, mas apenas ‘quando’ e ‘quem’. Deixo a MagniX e a Eviation bem colocadas para continuarem a liderar neste campo.”

Ganzarski não comentou quando questionado sobre se a sua saída se deveu às mesmas circunstâncias descritas por Bar-Yohay. “Omer fez um trabalho fantástico a construir uma empresa aeroespacial líder e aeronaves fenomenais com recursos muito limitados”, disse Ganzarski à CNN Business, quando questionado sobre a mudança de liderança. “Estou muito orgulhoso do que ele e a sua equipa fizeram.”

Bar-Yohay continuará envolvido com a Eviation como membro do conselho de administração e investidor, daqui para frente, segundo o próprio.

Líderes

Mais Líderes

Patrocinados