Saiba tudo sobre o Euro aqui

Marta Temido diz que respostas do PS em Portugal e na Europa são para melhorar vida dos portugueses

Agência Lusa , MJC
5 jun, 15:19
Marta Temido, do PS, em campanha em Bragança (Lusa/ José Sena Goulão)

Candidata ao parlamento europeu não comentou a aprovação da proposta do PS sobre IRS: "É trabalho de analistas"

A cabeça de lista do PS às europeias defendeu esta quarta-feira que as respostas do seu partido servem para melhorar a vida dos portugueses, sejam elas apresentadas na Assembleia da República ou no Parlamento Europeu.

“Nós temos a certeza que os portugueses percebem que as respostas do Partido Socialista são no sentido de melhorar a sua vida em geral. Isso passa-se quer no parlamento nacional, quer no Parlamento Europeu”, afirmou Marta Temido.

A candidata a eurodeputada falava numa ação de rua na cidade de Bragança, à qual se juntaram o secretário-geral do PS, Pedro Nuno Santos, e o presidente do PS, Carlos César. “Nessa medida há sinais que são convergentes e é este que é o nosso trabalho”, acrescentou, em resposta aos jornalistas, que a questionaram se a sua campanha para as europeias seria beneficiada com a aprovação da proposta do PS sobre o IRS.

“O resto é trabalho de analistas, com todo respeito, trabalho de quem escreve sobre o que é que se vai passando, mas o relevante é que há medidas que são destinadas a melhorar a vida dos portugueses”, apontou. Os deputados da Comissão de Orçamento e Finanças aprovaram hoje a proposta do PS sobre redução das taxas do IRS até ao 6.º escalão, mas mantendo as taxas dos escalões seguintes.

O décimo dia de campanha de Marta Temido serviu para assinalar o Dia Mundial do Ambiente, com uma visita às hortas urbanas da Escola Agrária do Politécnico de Bragança. Nesta ocasião, a candidata teve a oportunidade de pegar num “sacho” para rapar as ervas daninhas de um dos 115 lotes e perceber que cada um “tem calos daquilo que faz”.

“Eu tenho da caneta, mas o trabalho da terra é muito mais pesado e exigente. Hoje em dia requer adaptação a um conjunto de desafios na área da produção ecológica e do equilíbrio entre a rentabilidade da agricultura e aquilo que é a compatibilização com a agricultura que preserva o ambiente e faz boa gestão dos recursos hídricos”, referiu.

Marta Temido deixou ainda a sua preocupação para com o uso dos pesticidas, lembrando que os socialistas europeus ficaram “praticamente isolados no Parlamento Europeu das outras forças políticas mais à direita” nesta matéria. “Têm [os pesticidas] um impacto negativo no planeta, na segurança alimentar das pessoas. É um caminho do qual não vamos desistir, com o pacto ecológico europeu e a sua dimensão de equilíbrio”, concluiu.

Relacionados

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados