Saiba tudo sobre o Euro aqui

Mais de sete mil eleitores já votaram em Lisboa: "Estas eleições são decisivas"

Agência Lusa , MJC
2 jun, 15:10
Eleições europeias - voto antecipado (Lusa/ Manuel de Almeida)

Mais de 252 mil eleitores portugueses podem votar antecipadamente este domingo para as eleições europeias, de 9 de junho

Mais de sete mil eleitores exerceram hoje de manhã antecipadamente o seu direito de voto para as eleições europeias, do próximo domingo, na Cidade Universitária de Lisboa, com alguns a considerarem que o “futuro da Europa está em causa”.

É o caso de Celeste Rodrigues, que, à agência Lusa, adiantou que é necessário ter “representantes que saibam perceber as necessidades do país e, ao mesmo tempo, perceber as necessidades da Europa para tornar o mundo melhor”. “Eu considero que estas eleições são decisivas. E por essa razão, como por outras razões relacionadas com o funcionamento do país, eu considero que é necessário que as pessoas participem nas eleições”, salientou.

Falando junto à porta principal da Faculdade de Direito, Celeste Rodrigues disse ainda que a campanha “foi mais elucidativa” do que estava à espera, observando, todavia, que “acabou por ter diversos assuntos” que não foram falados. “Pelo menos visivelmente. Não transpareceram nas redes sociais e nos media convencionais. No entanto, considero que diversos candidatos que estão nesta eleição são pessoas com capacidade para poder representar o país”, sublinhou.

Também no mesmo local, José Botelho, que vai de férias na próxima semana, achou “mais funcional” usar hoje o voto antecipado em mobilidade e considerou estas eleições importantes. “Sobretudo para perceber não só o equilíbrio político da Europa, mas também perceber um bocadinho como está a evoluir o equilíbrio político em Portugal. Não tirar ilações nacionais. É perceber como é que estão os equilíbrios”, salientou.

Sobre a campanha, José Botelho observou que “está a descambar um bocadinho para a politiquice”. “Há muitas acusações pessoais. Há muitos ‘casinhos’. Era melhor sair desses ‘casinhos’ e fazer um bocadinho mais de política. Acho eu. Acho que está a descambar um pouco”, afirmou.

Já Isabel Sarmento, que falava na Aula Magna, realçou a importância do voto antecipado em mobilidade, dizendo que “é fundamental”, sobretudo “quando há férias marcadas, quando há rotinas, para a data das eleições”. À Lusa, atentou que a campanha e os debates foram pouco esclarecedores e que “maior parte do povo não sabe o que está em questão”. “Até podem saber quais são problemas, não sabem quais são as soluções de cada um destes partidos para fazer face a esses problemas”, referiu.

Ao lado, Joaquim Gato também disse que os debates foram pouco esclarecedores, considerando-os “muito pobres”. “Foram mais quezílias do que debate (…). Há mais o diz tu, o direi eu… Eu já sabia em que ia votar. Também acho que pode haver pessoas que elucidadas com os debates”, indicou.

Aos jornalistas no local, o vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Filipe Anacoreta Correia, adiantou que até às 12:00 tinham exercido o direito de voto 22% dos 34.606 eleitores inscritos no voto antecipado em mobilidade – mais 7.687 inscritos do que nas últimas eleições legislativas – nas 107 mesas. De acordo do Filipe Anacoreta Correia, “está tudo a correr bastante bem”, sem incidentes.

Mais de 252.000 eleitores portugueses podem hoje votar antecipadamente para as eleições europeias, de 9 de junho.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, Luís Montenegro, votaram hoje antecipadamente para as eleições europeias, para as quais são chamados a votar mais de 10,8 milhões de portugueses, que escolherão 21 dos 720 eurodeputados.

Cerca de 373 milhões de eleitores europeus são chamados a votar para o Parlamento Europeu entre 06 e 09 de junho. Em Portugal, a votação é no dia 09.

Serão escolhidos 720 eurodeputados, 21 dos quais portugueses.

Concorrem às eleições um total de 17 partidos e coligações: a AD, PS, Chega, IL, BE, CDU, Livre, PAN, ADN, MAS, Ergue-te, Nova Direita, Volt Portugal, RIR, Nós Cidadãos, MPT e PTP.

Relacionados

Política

Mais Política

Patrocinados