Sete em cada dez europeus apoiam política de defesa comum na UE

Agência Lusa , BCE
5 abr, 00:55
Equipamento militar chega à Roménia numa avião francês (Foto do Exército Francês via AP)

Inquérito do Eurobarómetro foi realizado ainda antes da invasão da Ucrânia pela Rússia

A grande maioria dos europeus (77%) é a favor de uma política de defesa e segurança comum na União Europeia (UE), apurou o Eurobarómetro, segundo um inquérito publicado esta segunda-feira e que inclui estudos realizados ainda antes do conflito russo-ucraniano.

O apoio a uma política comum de segurança e defesa entre os Estados-membros da UE atingiu assim o seu “segundo nível mais alto” desde que a primeira pergunta foi formulada no outono de 2004, destacam as conclusões.

Para os cidadãos europeus, o ambiente e as alterações climáticas (26%), o aumento dos preços, a inflação, o custo de vida (24%) e a imigração (22%) foram, por esta ordem, os assuntos mais prementes que a UE enfrenta, de acordo com um estudo de opinião realizado entre 18 de janeiro e 14 de fevereiro, informou esta segunda-feira a Comissão Europeia em comunicado.

Outro dado sublinhado pelo executivo do organismo comunitário é que 41% dos investigadores citaram os preços, a inflação e o custo de vida como um dos problemas mais importantes do país em particular, à frente da saúde (32%) e da situação económica (19%).

A preocupação com a inflação e a subida dos preços aumenta assim em 18 pontos percentuais, convertendo-se no principal problema detetado a nível nacional e é considerado como um dos três problemas por cidadãos de 25 Estados-membros.

As menções à oferta de energia também aumentaram a nível nacional, passando da 13.ª para a 6.ª posição.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados