Euro e dólar valem o mesmo - uma boa notícia para os americanos, uma má notícia para o mundo

CNN , Nicole Goodkind
12 jul, 14:09
Euro e dólar

Pela primeira vez em 20 anos, a taxa de câmbio entre o euro (EUU) e o dólar americano atingiu a paridade - o que significa que as duas moedas valem o mesmo.

O euro atingiu um dólar na terça-feira, tendo descido cerca de 12% desde o início do ano. Os receios de recessão no continente são muitos, impulsionados por uma elevada inflação e pela incerteza no fornecimento de energia causada pela invasão russa da Ucrânia.

A União Europeia, que recebia cerca de 40% do seu gás através de gasodutos russos antes da guerra, está a tentar reduzir a sua dependência do petróleo e gás. Ao mesmo tempo, a Rússia tem restringido o fornecimento de gás a alguns países da UE e recentemente cortou o fluxo no gasoduto Nord Stream para a Alemanha em 60%.

De momento, parte dessa infraestrutura crítica de importação de gás para a Europa foi encerrada para uma manutenção programada que se prevê durar 10 dias. Os funcionários alemães receiam que não se volte a ligar.

A crise energética surge a par de um abrandamento económico, o que lançou dúvidas sobre se o Banco Central Europeu pode restringir adequadamente as medidas políticas para fazer baixar a inflação. O BCE anunciou que irá aumentar as taxas de juro este mês pela primeira vez desde 2011, uma vez que a taxa de inflação da zona euro se situa em 8,6%.

Mas há quem diga que o BCE está muito aquém da curva, e que uma derrapagem é quase inevitável. A Alemanha registou o seu primeiro défice comercial de mercadorias desde 1991 na semana passada, uma vez que os preços dos combustíveis e o caos geral da cadeia de abastecimento aumentaram significativamente o preço das importações.

“Dada a natureza das exportações da Alemanha, que são sensíveis aos preços dos produtos de base, continua a ser difícil imaginar que a balança comercial possa melhorar significativamente a partir daqui nos próximos meses, devido ao esperado abrandamento da economia da Zona Euro”, afirmaram, num comentário recente, estrategas da bolsa de valores do Banco de Investimento Saxo.

Uma série de aumentos agressivos das taxas de juro por parte dos bancos centrais, incluindo o Fed (Federal Reserve System - Banco central dos Estados Unidos), juntamente com o abrandamento do crescimento económico, manterão a pressão sobre o euro, ao mesmo tempo que levarão os investidores a apoiar-se no dólar americano como uma plataforma de segurança, afirmam os analistas.

A Reserva Federal dos EUA está muito à frente da Europa nas suas restrições, tendo subido as taxas de juro em 75 pontos base ao mesmo tempo que indica que mais aumentos de taxas serão aplicados este mês.

Este uso do dólar como plataforma de segurança pode tornar-se ainda mais extremo se a Europa e os EUA entrarem em recessão, avisou o chefe da Deutsche Global Research FX, George Saravelos, em comunicado, na semana passada.

Uma situação em que o euro negociasse abaixo do dólar americano a um intervalo de $0,95 a $0,97 poderia “perfeitamente ser alcançada”, escreveu Saravelos, “se tanto a Europa como os EUA começarem a derrapar para uma recessão (mais profunda) no terceiro trimestre, enquanto o Fed ainda estiver a subir as taxas de juro.”

É uma boa notícia para os americanos com planos para visitar a Europa este verão, mas pode significar más notícias para a estabilidade económica global.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Patrocinados