Milhares marcham em Washington em apoio aos protestos no Irão

Agência Lusa , AM
23 out, 09:37
Protestos em Washington (Associated Press)

No sábado, manifestações de apoio também ocorreram em Berlim e Tóquio

Milhares de pessoas, muitas delas iranianas, marcharam pela capital norte-americana, Washington, em apoio aos protestos no Irão e até à Casa Branca, entoando o slogan: "Mulheres, Vida, Liberdade".

A marcha, que partiu ao final da tarde de sábado, do National Mall, no centro de Washington, reuniu "mais de 10 mil" pessoas, estimou um dos organizadores, Siamak Aram, à agência France-Presse (AFP).

"Este é o quinto protesto semanal que fazemos em Washington e acho que é o maior", acrescentou Aram, sublinhou que alguns dos manifestantes vieram de outras cidades americanas.

Foi o caso de Mahshid, 28, que veio de Boston, a 400 quilómetros da capital, vestindo uma t-shirt verde na qual estava estampado o slogan: "Ajude a libertar o Irão".

"Não queremos mais esse regime tirano, que nos proíbe de usufruir dos nossos direitos humanos e da nossa liberdade", declarou o arquiteto, que deixou o Irão há três anos.

Uma outra jovem segurava uma placa com uma madeixa de cabelo e uma mensagem: "O nosso cabelo pode incomodar-vos, mas o nosso espírito vai acabar convosco".

No sábado, manifestações de apoio também ocorreram em Berlim e Tóquio.

Há mais de um mês que as autoridades iranianas enfrentam protestos contra a morte de uma jovem, detida pela polícia dos Costumes por alegadamente ter violado o código de vestuário islâmico no Irão, onde os véus são obrigatórios para todas as mulheres em espaços públicos.

Mahsa Amini, de 22 anos, foi detida em Teerão a 13 de setembro e morreu três dias depois, o que desencadeou uma série de manifestações e uma onda de indignação internacional.

As autoridades iranianas têm respondido com violência aos protestos, onde muitas mulheres participaram sem o véu e entoaram slogans contra o governo.

Dezenas de pessoas, principalmente manifestantes mas também membros das forças de segurança, foram mortas durante os protestos e há centenas de pessoas, incluindo mulheres, que foram presas, diz a AFP, sem apresentar números concretos.

Segundo o governo do Irão, os protestos, que incluem também o fecho de vários estabelecimentos, está a ser orquestrado pelos Estados Unidos.

"Os americanos continuam a trocar mensagens connosco, mas estão a tentar agitar" o movimento de protesto, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Hossein Amir-Abdollahian, durante uma visita à Arménia, num vídeo divulgado no sábado pelo seu ministério.

Os Estados Unidos "estão a tentar exercer pressão política e psicológica sobre o Irão para obter concessões nas negociações nucleares", acrescentou, referindo-se às conversações indiretas entre Teerão e Washington, mediadas pela União Europeia.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados