Como um único senador travou 40 mil milhões de ajuda à Ucrânia

13 mai, 04:35
Rand Paul

Rand Paul, do Partido Republicano, impediu que o novo pacote de ajuda fosse aprovado em tempo recorde. Com a sua manobra, o processo será atrasado em pelo menos uma semana. Em causa estão 40 mil milhões de dólares de ajuda militar e humanitária

 

Um único senador norte-americano travou, ontem, um esforço bipartidário do Senado dos EUA para aprovar em tempo recorde um novo pacote de ajuda à Ucrânia no valor de 40 mil milhões de dólares. A verba adicional dos Estados Unidos para Ucrânia, proposta por senadores dos dois partidos e apoiada por Joe Biden, foi aprovada no Senado na terça-feira passada, por uma larga maioria de 368 votos contra 57. Mas bastou um senador - Rand Paul, republicano do Kentucky - para deitar por terra toda a rapidez com que foi negociado e aprovado o envelope de ajuda.

A necessidade de atuar depressa para fazer chegar mais ajuda militar e humanitária à Ucrânia, perante as reiteradas agressões russas, foi um dos pontos em que os representantes do Partido Democrata e do Partido Republicano se mostraram de acordo, ao longo da discussão do novo pacote de ajuda de 40 mil milhões de dólares - o maior pacote de ajuda externa aprovado através do Congresso em pelo menos duas décadas. 

Mas, para saltar etapas processuais e aligeirar procedimentos, era necessário o consentimento de todos os membros do Senado. Ran Paul não deu esse consentimento.

O senador do Kentucky, eleito pelo Partido Republicano, apresenta-se como libertário, tem como alvo habitual os gastos excessivos do Governo. Em tempos foi um opositor de Donald Trump, mas acabou por se tornar um dos seus grandes apoiantes entre os republicanos.

Na sua luta contra os gastos do governo, Paul costuma opõe-se às despesas dos EUA com a ajuda externa. Neste caso, tinha apresentado uma proposta de alteração ao projeto de lei, para incluir a obrigação de que um inspector-geral controlasse as despesas feitas com estes 40 mil milhões de dólares de ajuda à Ucrânia.

A proposta de Rand Paul não recolheu apoio dos senadores, mas os líderes republicanos e democratas tentaram um entendimento, propondo que essa norma fosse votada à parte da restante legislação. Paul não aceitou e, derrotado, não deu o seu aval para que o pacote de ajuda, que foi aprovado, salte algumas etapas procedimentais.

Na objeção que apresentou ao Senado, o senador do Kentucky citou preocupações sobre a inflação e o aumento dos preços da energia e do gás. "O meu juramento de posse é à Constituição dos EUA, não a qualquer nação estrangeira", disse, citado pelo New York Times: "Não podemos salvar a Ucrânia condenando a economia dos EUA", frisou o senador.

Esta posição estende pelo menos por mais uma semana o processo legislativo para o pacote de ajuda militar e humanitária à Ucrânia. 

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados