Síria: forças russas intensificam bombardeamentos após redução em março

Agência Lusa , AM
9 abr, 11:45
Ataque antiterrorista na Síria (AP Photo/Ghaith Alsayed)

Combatentes russos realizaram mais de 20 ataques aéreos em áreas com presença da organização terrorista do Estado Islâmico em Badia nas últimas horas, elevando o número total até agora em abril para 172

As forças armadas russas intensificaram os bombardeamentos na Síria desde o início do mês, depois de terem reduzido consideravelmente as suas operações em março, disse hoje o Observatório Sírio dos Direitos do Homem.

"A situação no deserto de Badia [Síria central] testemunhou uma escalada aérea em termos de bombardeamentos russos nos últimos dias, em contraste com o mês de março", disse a organização não-governamental sediada no Reino Unido, que tem uma vasta rede de parceiros no terreno, num comunicado.

O observatório, que fornece diariamente informações detalhadas sobre o desenvolvimento da guerra na Síria, tinha registado no mês passado uma diminuição significativa dos ataques aéreos russos desde que a Rússia iniciou a sua invasão da Ucrânia a 24 de Fevereiro.

De acordo com os seus relatórios, os combatentes russos realizaram mais de 20 ataques aéreos em áreas com presença da organização terrorista do Estado Islâmico em Badia nas últimas horas, elevando o número total até agora em abril para 172.

No entanto, as operações mais intensas na área tiveram lugar na passada terça-feira, com mais de 40 bombardeamentos no deserto sírio, o maior número diário em quase um mês, disse a organização.

Os números ainda estão muito aquém dos 600 ataques da aviação russa contabilizados pelo observatório nos 15 dias anteriores a 24 de fevereiro.

O destacamento militar da Rússia na Síria desde 2015 foi fundamental para que o Presidente sírio, Bashar al-Assad, tenha retomado militarmente a maior parte do território sírio que tinha perdido para vários atores na guerra civil que eclodiu no país em 2011.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Patrocinados