Estado Islâmico reivindica atentado próximo do aeroporto de Cabul

Agência Lusa , PF
2 jan, 14:48
Talibã em Cabul (AP)

Terroristas afirmam que ataque matou ou feriu "cerca de 50 milicianos apóstatas talibãs"

O grupo jiadista Estado Islâmico (EI) reivindicou esta segunda-feira, num comunicado, o atentado perpetrado domingo nas proximidades do aeroporto da capital do Afeganistão que provocou, pelo menos, dez mortos e oito feridos.

No comunicado, divulgado nos canais de propaganda da organização, o Estado Islâmico (EI) Khorasan, ou ISKP, ramo afegão do grupo terrorista que considera os talibãs traidores da ortodoxia da 'sharia' (lei islâmica), refere que o atentado foi perpetrado por um “homem suicida”.

O EI reivindica também que, no ataque, “cerca de 50 milicianos apóstatas talibãs morreram ou ficaram feridos”.

O ataque foi confirmado pelo porta-voz do Ministério do Interior afegão, Abdulnafai Takur, que não informou o número de mortos. No entanto, a agência de notícias afegã Jaama Press referiu que o atentado provocou pelo menos 10 mortes.

O grupo assumiu recentemente a responsabilidade pelo ataque de 12 de dezembro a um hotel em Cabul.

O ISKP, que defende uma interpretação muito mais dura do Islão do que a dos talibãs, tem sido alvo de perseguição por parte do regime talibã.

Em resposta a vários ataques por parte do grupo terrorista, os talibãs conduziram operações em várias partes do país numa tentativa de desmantelar o ISKP.

Os talibãs governam o Afeganistão desde que assumiram o controlo de Cabul, a 15 de agosto de 2021.

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados