Destroços de míssil antissatélite russo impedem astronautas da NASA de deixar Estação Internacional

30 nov 2021, 09:35
Astronautas Thomas Marshburn e Kayla Barron
Astronautas Thomas Marshburn e Kayla Barron

Estava previsto um 'passeio no espaço' para os norte-americanos Thomas Marshburn e Kayla Barron, que deviam reparar uma antena da EEI

PUB

A presença de destroços no exterior da Estação Espacial Internacional (EEI) obrigou ao adiamento de um passeio no espaço previsto para esta terça-feira, anunciou a NASA, que não divulgou uma nova data.

Estava prevista a saída dos norte-americanos Thomas Marshburn e Kayla Barron para reparação de uma antena, mas uma "notificação de destroços" impediu a realização dos trabalhos, devido ao risco que representa para os dois astronautas.

PUB

"Na noite de segunda-feira, 29 de novembro, a NASA recebeu uma notificação de destroços da Estação Espacial Internacional. Devido à falta de oportunidade para avaliar adequadamente o risco que isso pode representar para os astronautas, as equipas decidiram adiar o passeio no espaço até que mais informações estejam disponíveis", justifica a agência espacial norte-americana.

A NASA não especifica no seu comunicado qual é a origem dos mesmos, mas a agência Reuters avança que são detritos do míssil antissatélite russo, que foi lançado no passado dia 15 e originou milhares de destroços junto à Estação Espacial Internacional.

PUB
PUB
PUB

Segundo condenou, então, o Departamento de Estado norte-americano, o disparo do míssil antissatélite gerou mais de 1.500 detritos orbitais rastreáveis e centenas de milhares de fragmentos menores de detritos orbitais.

Além disso, obrigou os sete astronautas que se encontravam a bordo da estação a refugiarem-se nas naves atracadas, a fim de se prepararem para uma possível evacuação.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados