Ministro da Administração Interna: Esquadra no Porto teve de escolher entre fazer patrulha ou manter atendimento aberto e por isso "ajustou" o horário

Agência Lusa , CV
25 jul, 15:47
Polícia. Foto: AP

Em questão está um ajustamento de horário e não um encerramento, esclarece o governante

O ministro da Administração Interna esclareceu esta segunda-feira que a esquadra da PSP na baixa do Porto suspendeu temporariamente o atendimento e esta decisão de “ajustamento do horário” de funcionamento “não é a primeira vez que acontece” no país.

A esquadra não foi encerrada, suspendeu o encerramento até às 16:00 da tarde”, disse José Luis Carneiro aos jornalistas no final de uma reunião com direção nacional da Polícia de Segurança Pública no Comando Metropolitano de Lisboa para análise da gestão do efetivo e das infraestruturas policiais.

Questionado sobre o encerramento da 9.ª Esquadra da PSP no Porto, na zona do Infante, o ministro sublinhou que “não é primeira vez que isto acontece na área metropolita do Porto”, sendo tomada esta decisão quando é necessário “estabelecer um horário de atendimento diferente daquilo que é um horário permanente e regular, sobretudo no verão”.

“Não é a primeira vez que na área metropolitana do Porto e em outros locais do país que se ajusta o horário de atendimento. O atendimento pode ser feito de várias formas”, precisou.

O ministro acrescentou que a comandante da PSP do Porto “teve de tomar uma decisão”, que passou por “ter patrulha ou esquadra”, e optou “por ter patrulha porque a patrulha é aquilo que se movimenta pela cidade e para onde as pessoas necessitam”.

José Luis Carneiro disse também que não foi informado dessa decisão, mas já teve “oportunidade de falar com o presidente da Câmara do Porto sobre as formas diversas e adequadas às necessidades dos cidadãos”, nomeadamente o atendimento de pessoas em outras matérias de baixa gravidade.

O ministro vai ter esta segunda-feira à tarde uma reunião com a direção nacional da PSP no Comando Metropolitano do Porto, para análise da gestão do efetivo e das infraestruturas policiais.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados