Esperança de vida à nascença aumentou

Agência Lusa , AM
29 mai, 12:15
Avós e netos (Getty Images)

Relativamente ao triénio anterior, este aumento foi de 0,32 anos para os homens e de 0,15 anos para as mulheres

A esperança de vida à nascença aumentou para 81,17 anos no triénio 2021-2023, revelou o Instituto Nacional de Estatística, estimando também um aumento do tempo que se espera viver aos 65 anos (19,75 anos).

As estimativas do INE apontam para uma esperança de vida à nascença de 78,37 anos para os homens e de 83,67 anos para as mulheres.

Relativamente ao triénio anterior, este aumento foi de 0,32 anos para os homens e de 0,15 anos para as mulheres.

“No espaço de uma década, verificou-se um aumento de 1,14 anos na esperança de vida à nascença para o total da população, de 1,40 anos para os homens e de 0,87 anos para as mulheres”, destacou o INE, atribuindo o aumento à redução da mortalidade em idades iguais ou superiores a 60 anos.

Porém, a contribuição das idades mais idosas foi “mais significativa para as mulheres do que para os homens”, segundo a mesma fonte.

Aos 65 anos, os homens podem esperar viver 18 anos e as mulheres 21,11 anos, o que corresponde a um aumento de 0,24 anos para os homens e de 0,13 anos para as mulheres relativamente a 2020-2022.

Nos últimos dez anos, a esperança de vida aos 65 anos aumentou 10,2 meses para os homens e 8,4 meses para as mulheres.

“Apesar do aumento da esperança de vida à nascença no triénio 2021-2023, esta é, ainda, inferior à estimada para 2018-2020 (81,22 anos), em resultado, nomeadamente, da redução da esperança de vida à nascença registada no triénio 2019-2021 (-0,25 anos) devido ao aumento do número de óbitos no contexto da pandemia da doença COVID-19”, especificou o INE no relatório que acompanha a divulgação das tábuas de mortalidade.

País

Mais País

Patrocinados