Mais um caso de violação em grupo em Barcelona: seis suspeitos estão a ser investigados

CNN Portugal , MJC
12 jul, 10:20
Bairro de Barceloneta, em Barcelona (AP)

Vítima foi ao hospital para tratar uma intoxicação alcoólica e depois foi-se lembrando do que tinha acontecido. Identificou os alegados autores à polícia, entretanto foram todos libertados

Foram libertados os seis jovens que tinham sido presos como alegados autores de uma violação coletiva, ocorrida na noite de quinta para sexta-feira, no bairro de Barceloneta, em Barcelona, Espanha.

Os primeiros três saíram por ordem dos Mossos d'Esquadra, considerando que havia dúvidas quanto à sua participação no crime. Foram libertados sem acusação, mas poderão ser intimados pelo juiz no momento que julgar conveniente. 

Os outros três foram transferidos da delegacia dos Mossos para a Ciutat de la Justicia, onde o juiz ordenou a sua libertação, mas com medidas cautelares para evitar que fugissem da justiça. Foram-lhes retirados os passaportes, estão proibidos de deixar o país e devem comparecer regularmente no tribunal enquanto continua a investigação por um crime de agressão sexual, segundo o Superior Tribunal de Justiça da Catalunha (TSJC).

Segundo a comunicação social espanhola, a rapariga tinha ido na sexta-feira ao Hospital Clínic para tratar uma intoxicação alcoólica, mas, na altura, não se conseguia lembrar do que tinha acontecido. Com o passar das horas, foi recordando os eventos e decidiu fazer uma queixa na polícia. Nessa altura, os pais também já tinham denunciado o seu desaparecimento, preocupados com o facto de ela não ter voltado a casa depois de uma festa.

Quando se recompôs, a vítima conseguiu identificar os alegados autores e dar pistas para localizá-los. Os alegados agressores foram detidos na manhã de sábado.

Existe a forte suspeita que a rapariga tenha sido intoxicada para facilitar a violação.

As agressões sexuais aumentaram 31% até agora este ano em Barcelona em relação a 2019 (último ano pré-pandemia) e 6,5% em relação a 2021. E os abusos sexuais 11,3% em relação a 2019 e 9% em relação a 2021, segundo dados do Ministério do Interior e da Câmara Municipal.

Europa

Mais Europa

Patrocinados