Escolas servem refeições a milhares de alunos durante as férias

4 jul, 07:36
Crianças na escola

REVISTA DE IMPRENSA. Instituições oferecem resposta necessárias para quem não tem como nem tem onde deixar os filhos durante a pausa letiva

O início das férias de verão significa o fim do ano letivo, mas muitos alunos vão continuar a ir à escola para comer. Ao Jornal de Notícias, o Ministério da Educação garante que pelo menos 36 escolas irão servir refeições no mês de julho, e duas planeiam fazê-lo em agosto.

Nos últimos três anos, foram cozinhadas 102 mil refeições, com destaque para o ano de 2020, com 41.315. Estes números não mostram a realidade completa, uma vez que as escolas de gestão direta, bem como as iniciativas camarárias, ficam de fora das contas do Governo.

Ao Jornal de Notícias, a Câmara do Porto adiantou que a iniciativa ‘Escola Solidária’ “mantém abertos os refeitórios escolares do 1.º ciclo e jardins de infância”, prevendo servir “cerca de 45.600 refeições” a cerca de “mil crianças por dia”.

Filinto Lima, da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, salienta ao diário a importância destas iniciativas para os jovens carenciados. “A única refeição completa que comem durante o dia normalmente é na escola”, afirma.

Por seu turno, Ana Cid Gonçalves, da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, diz ao jornal que “no momento atual que vivemos, com a escalada do preço dos bens essenciais, é muito significativo” manter as refeições escolares durante as férias.

Educação

Mais Educação

Patrocinados