Costa não dá como certo regresso às aulas presenciais a 10 de janeiro (há dois dias o Governo tinha mais certezas)

5 jan, 09:44

Declarações do primeiro-ministro à CNN Portugal acontecem dois dias depois de o secretário de Estado Adjunto e da Saúde ter dito que não ia haver novo adiamento

O primeiro-ministro não dá como garantido que o regresso às aulas presenciais aconteça mesmo no dia 10 de janeiro, como está previsto. Em breves declarações à CNN Portugal, à margem do debate com Jerónimo de Sousa, António Costa diz que o Governo vai esperar pelos especialistas para decidir o que é melhor. 

"Vamos ouvir a avaliação dos especialistas e a perspetiva que têm da evolução da pandemia. Esperemos que essa evolução nos permita manter o calendário como previsto das escolas poderem reabrir", afirmou. O primeiro-ministro referia-se ao encontro com especialistas marcado para esta quarta-feira no Infarmed.

Antes disso, lembrou o chefe do Governo, existe um "esforço" de vacinação com a dose de reforço para docentes e funcionários das escolas. António Costa renovou ainda o "apelo" aos pais para a vacinação das crianças com mais de cinco anos.

As palavras do primeiro-ministro surgem dois dias depois de o secretário de Estado Adjunto e da Saúde ter recusado um adiamento do regresso às aulas presenciais. Na segunda-feira, António Lacerda Sales afastou a hipótese de novo adiamento por causa da covid-19. Agora, António Costa é mais cauteloso.

Educação

Mais Educação

Patrocinados