Equinócio de outono: perguntas e respostas fascinantes sobre o fenómeno

CNN , Forrest Brown
22 set, 19:38
Outono

Equinócio de Outono de 2022: não é tão “igual” como possa pensar. Em Portugal acontece na madrugada desta sexta-feira, mas há quem o viva antes.

Duas vezes por ano, o sol não escolhe favoritos. Todos na Terra estão aparentemente em situação de igualdade - pelo menos quando se trata da quantidade de luz e escuridão que recebem.

Entrámos no nosso segundo e último equinócio de 2022. Quem vive no Hemisfério Norte conhece-o como o equinócio do Outono. Para as pessoas a sul do equador, este equinócio na realidade assinala a chegada da Primavera.

A sua localização no globo terrestre também determina se este ano o dia é na quinta-feira 22 de setembro ou na sexta-feira 23 de setembro. As pessoas nas Américas irão celebrá-lo na quinta-feira; as diferenças de fuso horário significam que as pessoas em África, Europa – incluindo Portugal - e Ásia irão marcá-lo na sua sexta-feira.

As pessoas realmente próximas do equador têm dias de cerca de 12 horas e noites de cerca de 12 horas durante todo o ano, pelo que não notarão realmente nada. Mas as pessoas resistentes perto dos polos, em lugares como o Alasca e as partes norte do Canadá e da Escandinávia, passam todos os anos por mudanças doidas na relação entre dia/noite. Têm invernos longos e escuros e depois verões em que a noite mal se intromete.

Mas durante os equinócios, todos, de polo em polo, podem desfrutar de uma divisão de 12 horas de dia e de noite. Bem, há apenas uma questão - não é tão perfeitamente “igual” como se possa pensar.

Há uma boa explicação (A CIÊNCIA!) para o porquê de não se conseguir precisamente 12 horas de luz do dia no equinócio. Mais sobre isso mais abaixo.

Mas, primeiro, aqui estão as respostas às suas perguntas ardentes sobre o equinócio:

De onde vem a palavra "equinócio"?

O termo equinócio provém da palavra latina equinoxium, que significa “igualdade entre o dia e a noite”.

Precisamente quando é que o equinócio de Outono acontece?

A hora exata depende de quem pergunta. O equinócio chegará à 1:03 UTC (Tempo Universal Coordenado) de sexta-feira, 23 de setembro, de acordo com a NASA e a TimeandDate.com. Contudo, será à 1:04 UTC de acordo com os Museus Reais Greenwich e o US National Weather Service.

Para pessoas em lugares como Toronto e Washington, será às 21:03, hora local. Chega às 20:03 na Cidade do México e Chicago. No Oeste da América, em San Diego e Vancouver, isso significa que chega às 18:03.

Mas do lado de cá do Oceano Atlântico, a mudança da hora coloca-nos na sexta-feira. Para os residentes de Madrid, Berlim e Cairo, chega às 3:03 da manhã de sexta-feira. Indo mais para leste, Dubai marca o evento exato às 5:03 da manhã.

[Em Portugal acontece na próxima madrugada, às 2:03 de sexta-feira.]

Para os residentes de Banguecoque, será 8:03, enquanto a Tóquio chega às 10:03. Pode ver aqui mais cidades (arredondadas ao minuto e ajustadas para a hora de Verão).

O equinócio de Outono é o primeiro dia oficial de Outono?

Sim. O outono começa oficialmente no equinócio de Outono.

Mas existem na realidade duas medidas das estações do ano: as “estações astronómicas” (que seguem as chegadas dos equinócios e solstícios) e o que se chama as “estações meteorológicas”.

Allison Chinchar, meteorologista da CNN, explica as diferenças:

“O outono astronómico é essencialmente o período de tempo desde o equinócio outonal até ao solstício de Inverno. Essas datas podem variar de um a dois dias por ano”, diz.

“O outono meteorológico é diferente... na medida em que as datas nunca mudam e baseiam-se em estações climatológicas em vez de no ângulo da Terra em relação ao Sol. Estas são talvez as estações com que mais pessoas estão familiarizadas”, diz Chinchar.

As estações meteorológicas em Portugal são definidas como as seguintes: de 20 de março a 21 de junho é primavera; de 21 de junho a 23 de setembro é verão; de 23 de setembro a 21 de dezembro é outono; de 21 de dezembro a 20 de março é inverno.

“Isto torna algumas datas complicadas”, diz Chinchar. “Por exemplo, a 10 de dezembro, a maioria das pessoas consideraria o inverno, mas se estiver a utilizar o calendário astronómico, tecnicamente isso ainda é considerado outono, porque é antes do solstício de Inverno".

Segundo ela, “os meteorologistas e climatologistas preferem utilizar o 'calendário meteorológico', porque não só as datas não mudam – tornando fácil de lembrar - mas também porque se alinha mais com o que as pessoas pensam que são as estações tradicionais”.

Bom, mas porque é que o equinócio do Outono acontece?

A Terra gira ao longo de uma linha imaginária que vai do Pólo Norte ao Pólo Sul. Chama-se eixo, e esta rotação é o que nos dá dia e noite.

No entanto, o eixo inclina-se a 23,5 graus, como explica a NASA. Isso posiciona um hemisfério do planeta de forma a obter mais luz solar do que o outro durante metade do ano de órbita em torno do sol. Esta discrepância na luz solar é o que desencadeia as estações do ano.

O efeito está no seu máximo em finais de junho e em finais de dezembro. Estes são os solstícios, e têm as diferenças mais extremas entre o dia e a noite, especialmente perto dos polos. (É por isso que há luz durante tanto tempo todos os dias durante o verão em locais como a Escandinávia ou o Alasca).

Mas desde o solstício de verão, há três meses, em junho, você tem notado que os nossos dias têm vindo a ficar progressivamente mais curtos no Hemisfério Norte e as noites mais longas. E agora aqui estamos nós no equinócio do Outono!

O que é que os nossos antepassados sabiam sobre isto?

Muito antes da era dos relógios, satélites e tecnologia moderna, os nossos antepassados sabiam muito sobre o movimento do sol através do céu - o suficiente para construir monumentos e templos enormes que, entre outros propósitos, serviam como calendários gigantescos para marcar as estações do ano.

Aqui estão apenas alguns dos locais associados ao equinócio e à passagem anual do sol:

- Stonehenge (Reino Unido): permanecem muitos mistérios sobre estas pedras gigantes, mas sabemos que foram concebidas para marcar a passagem anual do sol. Embora alinhada para realçar os solstícios de Verão e de Inverno, Stonehenge também chama a atenção nesta época do ano.

- Templos Megalíticos de Malta: estes sete templos na ilha mediterrânica são alguns dos mais antigos edifícios de pedra do mundo, remontando a de 5.000 a 6.000 anos atrás. Nos templos de Hagar Qim e Mnajdra, as câmaras semicirculares estão alinhadas para que o sol nascente sobre um equinócio seja enquadrado entre as pedras.

- Chichén Itzá (Península de Yucatán, México): El Castillo, a famosa pirâmide de Chichén Itzá, permite ver um espetáculo impressionante nos equinócios. Construída pelo povo Toltec-Maya entre 1050 e 1300, a pirâmide foi construída para lançar uma sombra durante os equinócios na balaustrada norte de El Castillo. Parece a forma de uma serpente a deslizar escada abaixo, sendo o antigo efeito especial acentuado pelas cabeças das bestas esculpidas na base.

- Jantar Mantar (Nova Deli, Índia): muito mais recentes na sua origem (1724 e 1730), estes edifícios do final do período Mogol são observatórios astronómicos.

Quais são alguns dos festivais, mitos e rituais ainda entre nós?

Em todo o mundo, o equinócio de outono teceu o seu caminho para as nossas culturas e tradições.

Na mitologia grega, o equinócio de outono marca o regresso da deusa Perséfone ao submundo durante três meses, onde ela se reúne com o seu marido, Hades.

Os chineses e vietnamitas ainda celebram a Lua da Colheita. Lanternas alinham as ruas enquanto as pessoas dão graças, observam a lua e comem. Os pastéis redondos chamados “bolos da lua” são um dos favoritos do Festival de Meados de Outono. É realizado no 15º dia do oitavo mês lunar do calendário chinês. Em 2022, calhou a 10 de setembro.

No Japão, o Dia do Equinócio de Outono é feriado nacional. Em japonês, é conhecido como Shubun no Hi (秋分の日), de acordo com a Academia Japonesa de Coto. Pensa-se que as raízes da celebração remontam ao xintoísmo e ao budismo.

Serão as Luzes do Norte realmente mais ativas nos equinócios?

Sim - muitas vezes dão um espetáculo maior nesta época do ano.

Acontece que os equinócios de outono e da primavera coincidem normalmente com o pico de atividade da aurora boreal.

Estas belas e fascinantes tempestades geomagnéticas tendem a ser mais ativas em março e abril e depois novamente em setembro e outubro, de acordo com 75 anos de registos históricos analisados pelo físico solar David Hathaway do Centro Espacial Marshall em Huntsville, Alabama.

Então porque é que o equinócio não é exatamente igual?

Acontece que no equinócio se obtém um pouco mais de luz do dia do que escuridão, dependendo de onde se está no planeta. Como é que isso acontece? A resposta é um pouco complicada mas fascinante.

Como explica o Serviço Meteorológico Nacional dos EUA, as horas “quase” iguais de dia e de noite acontecem devido à forma complexa como um nascer do sol é medido e à refração da luz do sol na nossa atmosfera.

Este “dobrar” dos raios de luz faz com que o sol apareça acima do horizonte quando a posição real do sol está abaixo do horizonte. O dia é um pouco mais longo em latitudes mais elevadas do que no equador, porque o sol demora mais tempo a nascer e a pôr-se mais perto dos polos.

Assim, no equinócio de outono, a duração do dia varia um pouco, dependendo de onde se está. Aqui estão alguns exemplos para lhe dar uma ideia aproximada:

- No equador ou perto do equador: cerca de 12 horas e 6 minutos (Quito, Equador; Nairobi, Quénia; e Singapura)

- A 30 graus de latitude norte ou perto de 30 graus: cerca de 12 horas e 8 minutos (Nova Orleães, Louisiana; Cairo, Egipto; e Xangai, China)

- A cerca de 60 graus de latitude norte ou perto: cerca de 12 horas e 16 minutos (Helsínquia, Finlândia, e Anchorage, Alasca)

Para a divisão dia/noite verdadeiramente igual, é preciso esperar dias ou mesmo semanas após o equinócio oficial. Esse dia é chamado equilux, e saber quando ocorre depende da latitude onde está.

Clima

Mais Clima

Patrocinados