Um quarto da energia produzida na União Europa tem origem no nuclear

ECO - Parceiro CNN Portugal , Jéssica Sousa
21 dez 2022, 11:41
Energia nuclear volta a ser uma possibilidade

Em 2021, 25,2% do total de energia produzida no bloco europeu teve origens em reatores nucleares. França ocupa o lugar de maior produtor e maior dependente deste tipo de energia

A energia nuclear representou mais de 25% do total da eletricidade produzida na União Europeia (UE) em 2021, indicou o Eurostat.

De acordo com os dados divulgados esta quarta-feira, em comparação com 2020, registou-se um aumento de 7% na produção deste tipo de energia, isto é, mais 48.189 gigawatts-hora (GWh).

Este impulso foi resultado da capacidade de produção verificada em 13 Estados-membros — Bélgica, Bulgária, República Checa, Alemanha, Espanha, França, Hungria, Holanda, Roménia, Eslovénia, Eslováquia, Finlândia e Suécia — que, em 2021, produziram um total de 731.701 GWh de eletricidade nuclear.

França ocupa o lugar cimeiro de país com a maior produção, representando mais de metade do total (52% ou 379.361 GWh), seguindo-se a Alemanha, que foi responsável por 9% da produção total de eletricidade nuclear no bloco europeu, isto é, 69.130 GWh. O gabinete europeu de estatísticas destaca ainda os contributos de Espanha (8%), da Suécia e da Bélgica (ambas com 7%).

“Estes cinco países juntos representaram mais de 83% da quantidade total de eletricidade gerada em instalações nucleares na União Europeia“, lê-se na nota divulgada.

Essa produção teve origem em 106 reatores nucleares, em 2021, menos seis quando comparado com o início de 2020, altura em que se contabilizavam 109 reatores.

Quanto aos Estados-membros que mais dependem desta energia, França continua a ocupar a primeira posição. Em 2021, a eletricidade nuclear representou 69% de toda a energia produzida naquele país, situando-se à frente da Eslováquia (52%) e da Bélgica (51%).

Portugal integra a lista de Estados-membros que não produzem energia nuclear, juntamente com a Dinamarca, Estónia, Irlanda, Grécia, Croácia, Itália, Chipre, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Áustria e Polónia.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Patrocinados