Negócio entre Elon Musk e Twitter está em perigo. Caso está para durar e pode acabar em tribunal

8 jul, 20:30
Elon Musk e o Twitter (Getty Images)

Negócio de 43 mil milhões de euros pode cair. Homem mais rico do mundo continua com dúvidas em relação à viabilidade do projeto

A aquisição do Twitter por Elon Musk pode estar em sério risco, naquele que é mais um volte-face num longo e polémico processo que tem tido avanços e recuos desde o início. Fontes próximas do processo contaram ao The Washington Post que em causa continuam a estar os problemas que a rede social tem em verificar as contas de spam, uma condição que o homem mais rico do mundo colocou logo de início para que a compra fosse para a frente.

Como consequência dos diferentes entraves a equipa de Elon Musk suspendeu as várias reuniões sobre o financiamento do acordo alcançado em abril, e que está avaliado em 44 mil milhões de dólares (43 mil milhões de euros). Agora, diz aquela publicação, o próximo movimento poderá ser "uma ação potencialmente drástica", o que apanhou os administradores do Twitter de surpresa, uma vez que estes não consideravam que o negócio estivesse em risco.

As conversas com os investidores arrefeceram nas últimas semanas assim que se começaram a levantar dúvidas sobre eventuais dados de utilizadores que foram vendidos a empresas. O lado de Elon Musk teme que o Twitter não tenha a noção real do número de contas falsas, pelo que é difícil avaliar as perspetivas de negócio, isto mesmo depois de a equipa do comprador ter tido acesso ao fluxo de tweets da empresa.

Se Elon Musk não respondeu às questões do jornal, o Twitter remeteu para um comunicado de junho, em que afirmou que continua a trabalhar para "fechar a transação e reforçar o acordo com os termos e preço acordados".

Além da questão das contas falsas, que é a principal razão, a equipa de Elon Musk também não está a ver com bons olhos a flutuação nas ações do Twitter, que têm caído dramaticamente desde abril (24% desde então), precisamente a altura em que a oferta foi colocada. O empresário teme poder vir a pagar um preço inflacionado por um produto que afinal não vale tanto. De resto, o homem mais rico do mundo já deixou vários sinais de que o preço poderia ter de ser renegociado atendendo a essa situação.

Ainda assim, mesmo que queira, Elon Musk não poderá desistir do negócio tão facilmente. É que o empresário concordou em fechar o negócio a menos que algo de muito grave acontecesse, sendo que os especialistas duvidam que a questão das contas falsas se possa incluir nessa figura. Uma desistência poderá significar um pagamento de uma indemnização na ordem dos mil milhões de euros. Do lado do Twitter, que ao início até tentou resistir, parece claro que a empresa ficará mais fraca caso o negócio caia.

O The New York Times escreve que entre as ações "drásticas" que Elon Musk pode tomar estão duas opções: o término do negócio, que implicaria a tal indemnização, ou mesmo um processo em tribunal, o que até pode vir a acontecer em simultâneo.

Mas o caso pode ficar ainda mais complexo. Voltando à questão das contas falsas, que a empresa diz serem cerca de 5% dos utilizadores, o Twitter pode utilizar essas declarações para contra-atacar judicialmente, até porque a rede social acredita que tem a lei do seu lado. Grande parte dessa convicção faz-se com base numa "cláusula específica" em que o Twitter pode forçar Elon Musk a completar o negócio.

Uma longa batalha que ainda deverá ver várias polémicas antes de estar concluída, seja para um lado, seja para o outro.

Relacionados

Empresas

Mais Empresas

Patrocinados