Elon Musk volta a propor compra do Twitter semanas antes do julgamento

4 out, 21:32
Elon Musk é pai novamente (John Raoux/ AP)

A administração do Twitter já anunciou que pretende aceitar a oferta

Mais uma reviravolta no acordo entre o bilionário Elon Musk e a rede social Twitter. O dono da Tesla propôs agora comprar o Twitter pelo preço que ofereceu inicialmente, antes de tentar cancelar o acordo e avançar com um processo em tribunal contra a rede social.

A informação foi divulgada pela Bloomberg e teve como consequência imediata a suspensão das ações do Twitter quando se encontravam no seu nível mais alto em meses, de forma a evitar reações abruptas no mercado.

Elon Musk terá enviado uma carta à administração daquela rede social na qual propôs prosseguir com o acordo de compra por 54,20 dólares (cerca de 54,28 euros) por ação, com a condição de "suspender de imediato" o julgamento, agendado para o próximo dia 17, no Tribunal da Chancelaria de Delaware.

Em comunicado citado pelo The Washington Post, a administração do Twitter já fez saber que pretende aceitar a oferta, no valor de 44 mil milhões de dólares. "A intenção da empresa é fechar a transação por 54,20 dólares por ação", anunciou o Twitter, em reação a uma proposta do CEO da Tesla, enviada horas antes à empresa e à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC).

O também fundador da Space X já avançou e recuou várias vezes desde o início do ano em relação à compra do Twitter, alegando sempre que o número de contas falsas naquela plataforma era um grande entrave ao negócio. 

A proposta de Elon Musk surge cerca de duas semanas antes do julgamento entre as duas partes, que deveria pôr fim às disputas legais que se prolongam há vários meses entre o bilionário e a administração daquela rede social.

Desde o início do ano, as ações do Twitter valorizaram cerca de 15%, passando de cerca de 41 dólares para 47 dólares. Na sessão desta terça-feira, antes da suspensão das negociações, as ações tinham valorizado mais de 12%.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Patrocinados