Com o Twitter em caos, o Mastodon está a crescer rapidamente

CNN , Rachel Metz
6 nov, 17:38
Mastodon, rede social. Foto: Ascannio/Adobe Stock

Que rede social é esta e como funciona? Porque está a atrair tantos utilizadores?

Na semana desde que Elon Musk tomou conta do Twitter, o número de pessoas que se inscreveram numa pequena rede social chamada Mastodon aumentou.

Pode não ter ouvido falar do Mastodon, que existe desde 2016, mas está agora a crescer rapidamente. Alguns estão a fugir do Twitter para lá ou pelo menos à procura de um segundo lugar para colocar os seus pensamentos online, uma vez que a rede social muito mais conhecida enfrenta despedimentos, mudanças controversas de produto, uma mudança esperada na sua abordagem à moderação de conteúdos e um salto no discurso de ódio.

Pode não haver uma alternativa clara ao Twitter, uma plataforma única e influente que se move rapidamente, carregada de texto, conversacional e orientada para as notícias. Mas o Mastodon arranha alguns destes pontos. O serviço tem um aspecto semelhante ao do Twitter, com uma linha temporal de actualizações curtas ordenadas cronologicamente e não algoritmicamente. Permite aos utilizadores juntarem-se a uma série de diferentes servidores geridos por vários grupos e indivíduos, em vez de ser uma plataforma central controlada por uma única empresa como o Twitter, o Instagram, ou o Facebook.

Ao contrário das maiores redes sociais, o Mastodon é livre de usar e livre de anúncios. É operado por uma organização sem fins lucrativos dirigida pelo criador da Mastodon, Eugen Rochko, e é apoiado através de crowdfunding.

Rochko disse numa entrevista na quinta-feira que o Mastodon ganhou 230 mil utilizadores desde 27 de Outubro, quando Musk assumiu o controlo do Twitter. Tem agora 655 mil utilizadores activos todos os meses, disse ele. O Twitter informou em Julho que tinha cerca de 238 milhões de utilizadores activos monetizáveis diários.

"Não é tão grande como o Twitter, obviamente, mas é o maior que esta rede alguma vez foi", disse Rochko, que originalmente criou o Mastodon mais como um projecto do que como um produto de consumo (e, sim, o seu nome foi inspirado pela banda de heavy metal Mastodon).

Quem vai aderir à Mastodon?

As novas inscrições da Mastodon incluem alguns utilizadores do Twitter com grandes seguidores, tais como a atriz e comediante Kathy Griffin, que aderiu no início de Novembro, e a jornalista Molly Jong-Fast, que aderiu no final de Outubro.

Sarah T. Roberts, professora associada da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) e directora do Center for Critical Internet Inquiry da UCLA, começou a utilizar seriamente o Mastodon no dia 30 de Outubro, logo após Musk ter assumido o controlo do Twitter. (Ela tinha criado outra conta há anos atrás, disse, mas não lhe tinha ligado muito até agora por causa da popularidade do Twitter entre as pessoas no meio académico).

Roberts, que trabalhou no Twitter como investigadora de recursos humanos no início deste ano, enquanto tirava uma licença da UCLA, disse estar inspirada para começar a usar o Mastodon devido a preocupações sobre como a moderação do conteúdo do Twitter pode mudar sob o controlo de Musk. Ela suspeita que alguns recém-chegados estão simplesmente fartos de empresas de redes sociais que captam muitos dados de utilizadores e são impulsionadas pela publicidade.

E salientou que os utilizadores do Twitter poderão migrar para o Mastodon em particular porque a sua experiência de utilizador é bastante semelhante à do Twitter. Muitas das características e layout do Mastodon (particularmente na sua aplicação iOS) irão parecer familiares aos actuais utilizadores do Twitter, embora com algum palavreado ligeiramente diferente; pode-se seguir outras pessoas, criar publicações curtas (há um limite de 500 caracteres, e podem-se carregar imagens e vídeos), colocar nos favoritos ou repostar mensagens de outros utilizadores, e assim por diante.

"É o mais próximo possível", disse ela.

Sentir-se como um recém-chegado às redes sociais

Sou utilizadora do Twitter desde 2007, mas como um número crescente das pessoas que sigo na rede social começou a publicar os seus nomes de utilizador no Mastodon nas últimas semanas, fiquei curiosa. Esta semana, decidi verificar o Mastodon por mim própria.

Existem algumas diferenças fundamentais, particularmente na forma como a rede está montada. Como as contas dos utilizadores do Mastodon estão alojadas num conjunto de servidores diferentes, os custos de alojamento dos utilizadores estão repartidos por muitas pessoas e grupos diferentes. Mas isso também significa que os utilizadores estão espalhados por todo o lado, e as pessoas que conhece podem ser difíceis de encontrar - Rochko comparou esta configuração a ter diferentes fornecedores de correio electrónico, como o Gmail e o Hotmail.

Isto significa que a totalidade da rede não está sob o controlo de nenhuma pessoa ou empresa, mas também introduz algumas novas complicações para aqueles de nós habituados ao Twitter - um produto que também tem sido criticado ao longo dos anos por ser menos intuitivo do que serviços mais populares como o Facebook e o Instagram.

No Mastodon, por exemplo, tem de aderir a um servidor específico para se inscrever, alguns dos quais estão abertos a qualquer pessoa, outros requerem um convite (também pode gerir o seu próprio servidor). Existe um servidor operado pela organização sem fins lucrativos por detrás do Mastodon, Mastodon.social, mas não está a aceitar mais utilizadores; estou actualmente a utilizar um chamado Mstdn.social, que é também onde posso inscrever-me para aceder ao Mastodon na web.

E enquanto pode seguir qualquer outro utilizador Mastodon, independentemente do servidor em que ele esteja inscrito, só pode ver as listas de quem segue os seus amigos Mastodon, ou quem os seus amigos Mastodon seguem, se os seguidores por acaso pertencerem ao mesmo servidor em que está inscrito (apercebi-me disto enquanto tentava localizar mais pessoas que conheço e que se inscreveram recentemente).

No início, senti-me como se estivesse a começar de novo, de certa forma, como um completo recém-chegado às redes sociais. Como Roberts disse, é bastante semelhante ao Twitter em termos da sua aparência e funcionalidade, e a aplicação iOS é fácil de usar.

Mas ao contrário do Twitter, onde posso facilmente interagir com uma grande audiência, a minha rede Mastodon tem menos de 100 seguidores. De repente não fazia ideia do que publicar - um sentimento que nunca me incomoda no Twitter, talvez porque o tamanho dessa rede faz com que qualquer publicação pareça menos relevante. No entanto, superei esta questão rapidamente, e percebi que a escala mais pequena do Mastodon pode ser calmante em comparação com o fluxo infinito de estímulos do Twitter.

Uma janela de fuga

No entanto, não estou pronta para fechar a minha conta no Twitter; para mim, o Mastodon é uma espécie de janela de fuga da rede social no caso do Twitter se tornar insuportável.

Roberts também ainda não decidiu se vai fechar a sua conta no Twitter, mas ficou surpreendida com a rapidez com que os seus seguidores cresceram no Mastodon. No espaço de uma semana após se ter inscrito e alertado os seus quase 23.000 seguidores do Twitter, ela acumulou mais de 1.000 seguidores do Mastodon.

"Pode estar para breve o dia em que as pessoas não querem ser apanhadas no Twitter", disse ela.

De certa forma, começar de novo também pode ser divertido.

"Pensei: 'Como vai ser começar de novo?", conta. "É um pouco interessante: ó, aquela pessoa está aqui! Aqui está este e aquele! Estou tão contente por eles estarem aqui para que possamos estar juntos aqui."

Tecnologia

Mais Tecnologia

Patrocinados