Com 86% dos votos apurados, Netanyahu pode voltar a liderar o governo de Israel

Cláudia Évora , Notícia atualizada às 13:19
2 nov, 09:22
Benjamin Netanyahu (AP Photo)

O ex-primeiro-ministro, acusado de corrupção, já reagiu aos resultados provisórios, dizendo que está prestes a conseguir uma "grande" vitória eleitoral

Os israelitas foram chamados às urnas na terça-feira para escolher o próximo líder de Governo. De acordo com os dados provisórios do The Times of Israel, o líder do partido conservador Likud, Benjamin Netanyahu, deverá regressar ao lugar depois de ter estado 18 meses afastado. 

Neste momento, com 86% dos votos apurados, tudo indica que o bloco de direita que apoia Netanyahu vai conquistar uma maioria parlamentar, com 65 dos 120 assentos do Knesset (parlamento israelita). Um resultado que poderia pôr fim à crise política. 

Este é o panomara atual (os partidos a negrito são os aliados de Netanyahu): 

  • Likud de Benjamin Netanyahu - 32 assentos; 
  • Yesh Atid de Yaïr Lapid - 24; 
  • Movimento Religioso Sionista de Bezalel Smotrich - 14;
  • Partido Azul e Branco de Benny Gantz - 12; 
  • Shas de Ayreh Deri - 11; 
  • Judaísmo Unido da Torá de Yaakov Litzman - 8; 
  • Yisrael Beiteinu de Avigdor Lieberman - 5; 
  • Raam de Mansour Abbas - 5; 
  • Hadash-Taal - 5;
  • Partido Trabalhista de Amir Peretz - 4.

O ex-primeiro-ministro, acusado de corrupção, já reagiu aos resultados provisórios - quando ainda só tinham sido contabilizados 85% dos votos - dizendo que estava prestes a conseguir uma "grande" vitória eleitoral.

Ganhámos um enorme voto de confiança do povo de Israel. Estamos perto de uma grande vitória eleitoral", disse na sede do partido, prometendo formar "um estável e nacional governo."

Netanyahu, de 73 anos, político que mais tempo ocupou o cargo de chefe de Governo na história do país – 14 anos (1996-1999 e 2009-2021) – tem como aliados os partidos ultraortodoxos e de extrema-direita.

A coligação do centrista Yaïr Lapid, ao que tudo indica primeiro-ministro cessante, perdeu a maioria no parlamento na primavera deste ano, com a saída de deputados de direita, o que levou o Governo a convocar novas eleições legislativas - as quintas em três anos e meio.

Lapid aliou-se, em junho de 2021, a uma "Coligação da Mudança" que reunia partidos de direita, esquerda, centro e uma formação árabe, o Raam, de Mansur Abbas, para afastar do poder Benjamin Netanyahu, acusado pela Justiça de corrupção numa série de casos.

A Comissão Central de Eleições contabilizou até agora 4.101.766 votos, com 24.306 invalidados.

Relacionados

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Patrocinados