Global. Paulo Portas: "voto feminino é decisivo nestas eleições [brasileiras]"

2 out, 23:56

Em dia de eleições no Brasil, Paulo Portas analisa os principais candidatos, entre vários outros temas

Em dia de eleições presidenciais no Brasil, Paulo Portas fez, este domingo uma análise às últimas sondagens, ao eleitorado e aos principais candidatos a líder, frisando que o voto das mulheres é "decisivo nestas eleições".

No habitual espaço de comentário do jornal das 8 da TVI (do mesmo grupo da CNN Portugal), Global, Paulo Portas referiu que as "sondagens dão a possibilidade, por uma unha negra, a vitória à primeira volta a Lula da Silva", alertando que se deve esperar por resultados mais "cimentados". 

Neste sentido, analisa o eleitorado de cada um dos principais candidatos, Lula da Silva e Jair Bolsonaro, enaltecendo que o "voto das mulheres é decisivo, estando certamente relacionado com as frases "absolutamente grosseiras" proferidas pelo atual presidente. Além do voto feminino, estão do lado de Lula, os mais jovens, os católicos e os com menor rendimento. Ao lado de Bolsonaro está o "centro do Brasil e alguns do sul, os evangélicos e a seita IURD, voto mais velho e os com maior rendimento".

Paulo Portas enfatiza que se Bolsonaro realmente perder, é a primeira vez em 25 anos que tal acontece a um presidente em funções. 

O comentador explica ainda as posições de cada um dos candidatos na cena internacional, em que Lula terá um papel mais ativo, destacando, contudo, que os dois convergem na "simpatia não dissimulada" por Putin.  

"Na sexta-feira faz o anúncio a anexação e no sábado perde um dos nós logísticos mais relevantes, Lyman"

Em relação aos últimos desenvolvimentos da guerra na Ucrânia, foram vários os temas que marcaram a semana como os furos nos gasodutos do Nord Stream e o anúncio da anexação de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporizhzhia pelos russos. 

Em relação aos furos, Paulo Portas elenca as possibilidades em cima da mesa para o sucedido, destacando que "quem mais facilmente faz esta operação que é quase no limite da loucura é o gestor do tubo. Ora o gestor do tubo é no essencial, a Rússia."

Na sexta-feira, o presidente russo anunciou a anexação formal dos territórios ucranianos, ao qual o comentador reitera o que já havia dito, que é "a confissão que a Rússia não consegue fechar o corredor marítimo e não chega a Odessa". Paulo Portas indica ainda que a Rússia vai somando alguns reveses do ponto de vista operacional: "na sexta-feira faz o anúncio a anexação e no sábado perde um dos nós logísticos mais relevantes, Lyman". 

"Ninguém se salva" do fraco crescimento económico 

Paulo Portas analisou também a subida da inflação portuguesa no mês de setembro, de 9,3% que nota ser a mais alta desde 1992, realçando que "se estivesse na posição do Governo estaria preocupado".

Face a essa notícia, menciona os valores da energia e dos bens alimentares e as preocupações a eles adjacentes.  

Numa análise a nível internacional, apresentou as previsões da OCDE Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico), que não sendo animadoras levam Paulo Portas a acreditar que “ninguém se salva” de um fraco crescimento económico, enfatizando que alguns países, como a Alemanha, estão a entrar numa recessão.  

No espaço de comentário foi ainda mencionada a situação económica do Reino Unido, protagonizada pelo “erro” de Liz Truss, em que Paulo Portas refere que aconteceu é "a consequência de escolherem pessoas impreparadas". 

Regressando a Portugal, o novo aeroporto de Lisboa também foi tema de análise, em que Paulo Portas alerta que um aeroporto novo de raiz não tem avaliação ambiental e custa sete a nove vezes mais do que o Portela-Montijo, deixando ainda a questão: “A quem é que vão vender a TAP?” 

Alerta: "máfias de leste" estão a usar o nome de Paulo Portas para convencer pessoas a comprar bitcoins

Paulo Portas não deixa de lado a situação política italiana e as preocupações que têm sido levantadas pela comunicação social de um novo fascismo, depois da eleição de Giorgia Meloni para primeira-ministra. 

No final da rúbrica, o comentador deixa um importante alerta para todos, especialmente os mais idosos, sobre "máfias de leste" que estão a usar a sua imagem para convencer pessoas a comprar bitcoins. "Veja bem como Paulo Portas transformou 250 euros em bitcoins em 4 mil. É tudo falso", avisa. 

Comentadores

Mais Comentadores

Patrocinados