Legislativas. Costa diz que não depende do PAN nem de qualquer outro partido para formar Governo

Agência Lusa , DCT
19 jan, 18:51
O secretário-geral do Partido Socialista (PS), António Costa (C-E), esta tarde durante a visita à empresa agrícola de hidroponia PaxBerry durante uma ação de campanha eleitoral para as Eleições Legislativas 2022, Beja

"Diálogo é uma coisa, mas ceder em valores essenciais não é possível", assegurou

O secretário-geral do PS rejeitou esta quarta-feira a ideia de que esteja dependente do PAN para formar um Governo estável e afirmou que o país terá eleições antecipadas porque o seu partido nunca cede nos “valores essenciais”.

António Costa falava aos jornalistas a meio de uma ação de rua no centro de Beja, depois de confrontado com as críticas do histórico socialista Manuel Alegre e da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) por ter admitido um entendimento com o PAN a seguir às eleições de 30 de janeiro.

Interrogado se o PS está dependente do PAN, o líder socialista respondeu: “O PS só está dependente dos portugueses, não está dependente de mais ninguém”.

Nestes anos em que governámos em parceira com outros partidos nunca deixámos de preservar o essencial. Estamos aqui, agora, precisamente porque não cedemos onde não é para ceder. Diálogo é uma coisa, mas ceder em valores essenciais não é possível”, declarou.

Em relação ao artigo que Manuel Alegre escreveu no jornal Público, António Costa referiu que o leu e considerou que “é mais claro do que a posição da CAP”. “O que a CAP devia dizer é que se deve votar no PS para o PS ter maioria. Já Manuel Alegre, penso que não criticou nada, disse o óbvio. Disse que é preciso dar uma maioria ao PS para o PS poder governar com autonomia”, sustentou.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados