Macron pede "cautela" e diz que os resultados não respondem à dúvida de "quem vai governar"

7 jul, 19:47


 

O ministro do Interior, Gérald Darmanin, e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Stéphane Séjourné, também assinalam que os resultados não permitem saber, para já, quem vai governar França

O presidente francês, Emmanuel Macron, pediu "cautela" aos franceses, uma vez que os resultados da segunda volta das eleições legislativas não respondem à dúvida de "quem vai governar".

Citado pelo Le Fígaro, Macron assinalou ainda que "o bloco central está vivo e de boa saúde", numa curta reação às primeiras projeções das eleições francesas.

O Palácio do Eliseu confirmou entretanto que o presidente não vai discursar esta noite, estando neste momento a analisar os resultados antes de tomar qualquer decisão, refere-se num comunicado.

Ecoando as palavras do presidente, o ministro do Interior, Gérald Darmanin, que foi reeleito por uma região do norte, afirmou que os resultados não permitem encontrar um claro vencedor.

Gérald Darmanin, que é afeto ao partido de Emmanuel Macron, declarou que "ninguém pode dizer que ganhou" estas eleições, "especialmente o senhor Mélenchon".

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros, Stéphane Séjourné, afirmou que é "óbvio" que Jean-Luc Mélenchon "não pode governar França".

Ainda assim, o governante reconhece que a presidência deve apresentar "condições para qualquer discussão" que origine uma solução governativa.

Recorde-se que o mesmo Jean-Luc Mélenchon pediu ao presidente que formasse um governo de esquerda, mas também Macron recusou esse cenário para já.

Europa

Mais Europa

Patrocinados