Advogado da família do trabalhador morto diz que Cabrita deveria “assumir caso”

Agência Lusa , WL
3 dez 2021, 18:37
Eduardo Cabrita demite-se (António Cotrim / Lusa)
Eduardo Cabrita demite-se (António Cotrim / Lusa)

Família quer que o ministro da Administração Interna, agora demissionário, reconheça que tem responsabilidade no atropelamento

PUB

O advogado da família do trabalhador que morreu atropelado na autoestrada A6 pelo automóvel que transportava o ministro da Administração Interna considerou esta sexta-feira que o governante “não é um mero passageiro” e que deveria “assumir o caso”.

“É evidente que ele é um passageiro, mas é um passageiro que determina a deslocação de todos os outros passageiros e até do condutor. Ele deve assumir o caso. Eu, no lugar dele, assumiria o caso”, afirmou José Joaquim Barros.

PUB

O causídico respondia aos jornalistas à saída do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora, após ter consultado o processo.

José Joaquim Barros foi questionado sobre as declarações feitas hoje pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, ainda antes do anúncio da demissão do governante.

Numa deslocação efetuada a Lagos, no Algarve, o ainda ministro disse que era “passageiro” quando o carro em que seguia provocou um acidente mortal na A6, sublinhando que “o esclarecimento dos factos tem de ser feito” sem cair num “repugnante aproveitamento político de uma tragédia pessoal”.

PUB
PUB
PUB

O motorista do carro onde seguia o ministro da Administração Interna e que atropelou mortalmente um trabalhador na A6 foi acusado de homicídio por negligência, segundo despacho de acusação do Ministério Público (MP).

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados