O hotel gigante em forma de lua que o Dubai quer construir

CNN , Francesca Street
2 out, 13:00

NOTA DO EDITOR. Esta série da CNN Travel é, ou foi, patrocinada pelo país em destaque. A CNN mantém total controlo editorial sobre o assunto, reportagem e frequência dos artigos e vídeos dentro do patrocínio, em conformidade com a nossa política.

Quer se trate de uma explosão no espaço suborbital ou de uma estadia num hotel entre as estrelas, os empresários do turismo espacial acreditam que um dia todos nós estaremos a optar por férias fora deste mundo.

A equipa por detrás da Moon World Resorts também partilha esta opinião – à sua maneira.

Querem construir uma série de gigantescos hotéis em forma de cúpula que se assemelham à Lua, situados aqui no planeta Terra. Mais precisamente, no Dubai.

Cada esfera será uma recriação de 360 graus da lua em grande escala, completa com crateras e textura com aspeto realista. Cada lua recriada poderá atingir 224 metros de altura com uma circunferência de 62.240 cm, dependendo da localização e das permissões de planeamento.

O empresário canadense Michael R. Henderson, cofundador da Moon World Resorts, informou a CNN Travel que o cerne do projeto é a lua, uma “marca que é reconhecível”.

“Sete mil milhões e meio de pessoas a conhecem, todos a adoram", diz ele.

Tornar o projeto em algo global

Cada Moon World Resort incluirá todas as instalações habituais de um hotel de luxo, como um spa, aqui retratado, mas com um twist lunar

De acordo com Henderson, cada Moon World Resort será “um resort de destino muito luxuoso e contemporâneo, totalmente integrado, com muitos componentes no interior que já são habituais neste tipo de espaços” - por exemplo, um centro de convenções, restaurantes, spa, cada um com o seu twist lunar.

As simulações de design preveem interiores ao estilo de nave espacial e entretenimento temático - incluindo o que Henderson considera como o ponto alto da atração, uma experiência que reproduz a sensação de andar na lua.

“Vamos oferecer-lhe a possibilidade de, durante a sua vida, caminhar sobre aquilo que lhe parecerá ser a superfície lunar”, afirma Henderson.

O projeto Moon World Resorts tem estado a ser desenvolvido há duas décadas, um espaço de tempo que Henderson, que anteriormente fundou uma empresa de serviços médicos, sugere corresponder ao ritmo mais lento associado ao turismo espacial de uma forma mais geral.

Um exemplo de como poderá ser o interior de um clube noturno do Moon World Resort

O projeto traz “tremendos desafios técnicos”, explica Henderson, mas o fundador e a cofundadora Sandra G. Matthews estão a trabalhar com engenheiros e arquitetos independentes para tornar o conceito uma realidade.

“Basicamente, temos uma pletora de grupos em todo o mundo a quem recorremos, consoante vamos precisando deles. Mas, obviamente, uma vez que o projeto comece realmente a ser construído, estes recursos serão os que estão localizados numa determinada região”, diz.

O objetivo a longo prazo é construir quatro resorts lunares, um na América do Norte, um na Europa, um no Médio Oriente e Norte de África e um na Ásia. Moon World Resorts é uma empresa de licenciamentos, pelo que Henderson prevê licenciar cada Moon World Resort aos titulares de licença com capital para gastar.

Os Emirados Árabes Unidos, e especificamente o Dubai, foram apontados pela empresa como os possíveis “pioneiros” para a abertura do primeiro Moon World Resorts. Henderson diz que isto se deve ao facto de os EAU serem “muito populares para turistas” e albergarem “muitos projetos de infraestruturas”.

Contudo, Henderson também deu a entender que existem “outras possibilidades que vão surgindo”, recusando-se a partilhar mais, por agora.

Diversão na Lua

O cofundador Michael Henderson sugere que as cápsulas Moon World Resorts poderão ser uma alternativa mais acessível ao turismo espacial

O turismo espacial está ainda associado a um elevado custo, e esta questão é ainda uma barreira para a maioria dos viajantes. A Virgin Galactic, por exemplo, tem vindo recentemente a vender viagens espaciais por 450.000 dólares.

Henderson diz que a experiência do Moon World Resort será significativamente mais barata, sugerindo que a inscrição para caminhar na “superfície lunar” do resort custará aos hóspedes 500 dólares.

Estes custos podem também impedir que projetos futuristas como o Moon World Resorts avancem para além desta fase conceptual, mas Henderson sugere que este modelo de licenciamento tornará o projeto viável.

“Não é tanto a procura de capital”, explica. “O objetivo de um licenciador, como nós, é encontrar o titular de licença. E desta forma, uma vez assegurado o licenciado, temos então o dinheiro para os projetos já lá existentes - porque não estamos a falar de pequenas empresas, estas serão grandes corporações internacionais.”

Henderson espera que o primeiro licenciado, que deverá investir 5 mil milhões de dólares na construção, esteja assegurado até ao final de 2022. Prevê assim a abertura do primeiro Moon World Resort daqui a cinco anos, em 2027.

Espera também que cada Moon World Resort se torne um destino por si só. Mesmo que as pessoas não estejam lá hospedadas, ou a visitar as instalações desta era espacial, ele acredita que os viajantes hão de querer simplesmente admirar o edifício.

Mencionou estruturas arquitetónicas como o Museu Guggenheim em Bilbao, ou o Burj Khalifa no Dubai, como inspiração para este seu ideal.

“Obviamente que as pessoas gostam de ver a simulação do que está a acontecer no interior. Mas penso que muita gente vai ficar entusiasmada quando olhar para a maior esfera do mundo - acho que isso vai ser aquilo que as vai deixar de boca aberta”, afirmou.

Estilo de Vida

Mais Estilo de Vida

Na SELFIE

Patrocinados