"Como uma segunda casa". Dubai, o novo refúgio para os milionários russos

9 mai, 14:09
Dubai

A cidade nos Emirados Árabes Unidos emergiu como um paraíso para os milionários russos que fogem do impacto das sanções ocidentais na sequência da guerra na Ucrânia

São cada vez mais os milionários e os empreendedores russos que estão a mudar-se para os Emirados Árabes Unidos. E quem o diz são os líderes empresariais do país, que já sentem os efeitos no mercado. Aliás, um relatório recente citado pela BBC revela que as compras de propriedades no Dubai por cidadãos russos aumentaram 67% nos primeiros três meses de 2022. 

Mas porquê o Dubai? Os shoppings de luxo, a arquitetura ultramoderna e a vida noturna animada podiam ser, só por si, razões suficientes para atrair milionários. Mas, neste caso, a resposta é outra: vistos.

Os Emirados Árabes Unidos não impuseram sanções à Rússia, nem criticaram a invasão à Ucrânia. Além disso, o país está a disponibilizar vistos aos cidadãos russos, enquanto muitos países ocidentais os restringem.

Russos "estão preocupados com o colapso económico"

Estima-se que centenas de milhares de pessoas tenham deixado a Rússia nos últimos dois meses - embora os números exatos não estejam disponíveis.

Ora, para proteger as reservas do Banco Central, o governo russo decretou restrições de capital e proibiu os cidadãos de saírem do país com mais de 10.000 euros em moeda estrangeira.

Por ser difícil transferir dinheiro, muitos compradores russos fazem os pagamentos em criptomoedas. Alguns têm mesmo um intermediário que recebe o pagamento em criptomoeda e transfere o dinheiro ao vendedor em nome do comprador.

A Virtuzone, empresa que ajuda outros negócios a estabelecer operações no Dubai, testemunhou um grande aumento de clientes russos. "Estamos a receber cinco vezes mais consultas de russos desde que a guerra começou", disse o presidente-executivo, George Hojeige, à BBC.

"Eles estão preocupados com o colapso económico que está por vir. É por isso que estão a mudar-se para cá para garantir a sua riqueza", acrescentou.

Com este aumento de cidadãos russos, cresceu também a procura por moradias e apartamentos de luxo em toda a cidade. Os agentes imobiliários relatam um aumento nos preços dos imóveis, uma vez que os russos que chegam ao Dubai pretendem comprar casas.

A agência imobiliária Betterhomes, por exemplo, com sede no Dubai, revela que as compras de imóveis por cidadãos russos aumentaram dois terços nos primeiros três meses de 2022. Já outra agência imobiliária, a Modern Living, disse à BBC que contratou consultores que falam russo para responder à crescente procura. O presidente-executivo, Thiago Caldas, disse que estão a receber inúmeras chamadas de cidadãos russos que querem mudar-se para o Dubai imediatamente.

"Os russos que estão a vir não estão a comprar apenas para investimento, eles estão a olhar para o Dubai como uma segunda casa", afirmou o agente imobiliário.

Empresas também estão a mudar-se 

Muitas empresas multinacionais e start-ups russas também estão a realocar os funcionários nos Emirados Árabes Unidos.

Fuad Fatullaev é cofundador da WeWay - uma empresa de tecnologia blockchain que tinha escritórios na Rússia e na Ucrânia. Assim que a guerra começou, transferiram centenas de funcionários para o Dubai.

"A guerra teve um impacto enorme nas nossas operações. Não pudemos continuar [como estávamos] porque tivemos que transferir centenas de pessoas para fora da Ucrânia e da Rússia", afirmou Fuad, que é cidadão russo, à mesma publicação. O empresário acrescenta que optou por transferir os funcionários para os Emirados Árabes Unidos porque o país oferece um ambiente económico e político seguro para operar um negócio.

O desafio foi ainda maior para as empresas que lidam com clientes e marcas internacionais, já que a maioria das empresas ocidentais rompeu os laços com empresas sediadas na Rússia. E facto é que as empresas globais como a Goldman Sachs, JP Morgan e Google, que fecharam escritórios na Rússia, também estão a realocar alguns dos seus funcionários no Dubai.

O aumento deste investimento russo acontece apenas alguns meses depois de os Emirados Árabes Unidos terem sido colocados numa "lista cinzenta" pela Task-force de Ação Financeira (GAFI), um órgão global de vigilância de crimes financeiros. Isto significa que o país enfrenta agora um aumento da monitorização para combater a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo.

Segundo noticia também a BBC, o governo dos Emirados Árabes Unidos alegou ter tomado medidas significativas para regular o investimento de entrada e declarou que continua comprometido em trabalhar em estreita colaboração com a task-force.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados