Duarte Lima confessa burla milionária mas continua preso por alarme social em caso de homicídio 

13 mai, 20:00

Antigo advogado e deputado acaba de cumprir pena pelo caso Homeland em novembro

Duarte Lima confessou pela primeira vez, já no âmbito do plano de reinserção social na prisão da Carregueira, onde cumpre uma pena de seis anos, ser culpado no esquema pelo qual foi condenado no caso Homeland – de burla ao BPN, em 2007, no empréstimo que pediu de 42 milhões de euros para a compra de uns terrenos em Oeiras.

Mas essa assunção de culpa de nada lhe valeu, segundo uma decisão recente do Tribunal de Execução de Penas a que a TVI/CNN Portugal teve acesso, porque vai ter de cumprir a pena até ao fim, sem direito a liberdade condicional. Ainda lhe falta cumprir meio ano. E isto porque o juiz tem em conta “o alarme social” no outro processo em que o antigo advogado e líder parlamentar do PSD está envolvido: o homicídio a tiro da cliente Rosalina Ribeiro, herdeira do milionário Tomé Feteira, em 2009, no Rio de Janeiro, Brasil. Sobre isso Duarte Lima diz-se inocente, mas está acusado e começará a ser julgado já no próximo mês, no Tribunal de Sintra, depois de o processo brasileiro ter sido transferido para Portugal.   
 
Em novembro, Duarte Lima acaba de cumprir a pena no caso Homeland e será libertado – caso não lhe seja aplicada prisão preventiva no processo do homicídio.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados