Eletricidade: Governo diz que mecanismo ibérico gerou benefício de 489 milhões de euros até ao final do ano

Agência Lusa , BC
17 jan, 16:31
Duarte Cordeiro (Foto: José Sena Goulão/Lusa)

Ministro do Ambiente revelou estimativas provisórios do regulador sobre impacto do mecanismo que permite redução de 20% do preço da eletricidade

O mecanismo ibérico permitiu uma redução de 20% no preço da eletricidade, desde a entrada em vigor até ao final de 2022, e gerou um benefício de cerca de 489 milhões de euros, disse esta terça-feira o ministro do Ambiente.

“Desde que entrou em vigor e até ao final do ano passado, o mecanismo [ibérico] permitiu, segundo as estimativas provisórias do regulador, uma redução do preço final de 49 euros por megawatt-hora (MWh), ou seja, uma redução de 20% face ao preço que ocorreria sem a medida, gerando um benefício de cerca de 489 milhões de euros neste período, para quem está exposto ao mercado”, disse o ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, que está a ser ouvido pela comissão parlamentar de Ambiente e Energia, por requerimento do Bloco de Esquerda.

Já em dezembro, no que diz respeito ao preço médio diário do mercado grossista de eletricidade, a poupança foi de 74 euros/MWh, o que representou um decréscimo de 36% face ao preço sem a aplicação da medida.

Segundo o governante, tal deveu-se, essencialmente, “a um maior peso das renováveis e à evolução dos preços do gás no mercado internacional”.

“Para terem uma ideia do efeito do mecanismo, o preço médio obtido em Portugal em dezembro foi menos de metade do preço em França, Grécia ou Itália (283,61 euros/MWh) e 54% do preço praticado na Alemanha", apontou Duarte Cordeiro.

Ministro do Ambiente vai a Bruxelas pedir renovação do mecanismo ibérico

O ministro do Ambiente e a homóloga espanhola deslocam-se na quarta-feira a Bruxelas para submissão do pedido de renovação do mecanismo ibérico para limitar o preço do gás para produção de eletricidade. Fonte europeia anunciou que Duarte Cordeiro e a ministra espanhola com a pasta da Energia, Teresa Ribera, têm uma reunião na Comissão Europeia, em Bruxelas (Bélgica), que terá início pelas 11:30 locais (10:30 em Lisboa).

Ainda não há informação sobre declarações no final da reunião.

No dia 9 de janeiro, Teresa Ribera anunciou que Espanha ia solicitar o prolongamento até ao final de 2024 do mecanismo para limitar o preço do gás adquirido para produção de eletricidade em Portugal e Espanha.

Madrid vai apresentar o pedido para “extensão da exceção ibérica além de maio de 2023, enquanto durar esta crise”, sustentou na altura a ministra espanhola, entrevista à televisão espanhola Antena 3.

“Gostaríamos que [o preço máximo do gás para gerar eletricidade] ficasse no valor mais baixo possível, 45 ou 50 euros o megawatt por hora, e que se possa prolongar até pelo menos o final de 2024”, acrescentou.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro português, António Costa, vai jantar em Bruxelas com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

A última vez que Costa e von der Leyen se encontraram foi na reunião do Conselho Europeu de dezembro, onde o primeiro-ministro português defendeu a renovação, a partir de maio, do mecanismo ibérico.

Economia

Mais Economia

Patrocinados