Juíza federal nomeia ‘mestre especial’ para investigar documentos apreendidos a Trump (mas o que é mesmo um 'mestre especial'?)

5 set, 19:22
Donald Trump

"Em última análise, qual é o mal de nomear um mestre?"

Uma juíza federal nomeou um ‘mestre especial’ para investigar os documentos apreendidos pelo FBI a Donald Trump na sua mansão em Mar-a-Lago, acedendo a um pedido do antigo presidente dos Estados Unidos.

Segundo a Reuters, Aileen Cannon, juíza do Quarto Tribunal Distrital de Recurso da Flórida, autorizou o ‘mestre especial’ a rever todos os itens pessoais, documentos e materiais sujeitos ao privilégio advogado-cliente. "Em última análise, qual é o mal de nomear um mestre?”, questionou a juíza.

Cannon está no cargo desde 2020, tendo sido nomeada para a posição pelo próprio Trump. A juíza deu até 9 de setembro para a defesa do ex-presidente apresentar a sua lista de candidatos a 'mestre especial'.

O magnata acusou o Departamento de Justiça de uma “caça às bruxas” no caso da apreensão de documentos ultrassecretos que alegadamente removeu da Casa Branca quando o seu mandato terminou. Os seus advogados argumentaram que a nomeação de uma terceira parte independente para investigar os documentos ultrassecretos iria garantir um controlo importante sobre as atividades da Justiça.

O pedido de Trump é singular: o antigo presidente não só quer que o ‘mestre especial’ reveja todo o material sujeito ao privilégio advogado-cliente como considera que alguns dos documentos podem estar sujeitos ao privilégio executivo, que protege algumas comunicações da Casa Branca.

O Departamento de Justiça contestou este pedido, alegando que Trump não pode alegar privilégio executivo uma vez que já não é presidente, afirmando que a sua equipa destacada para o caso tinha concluído o trabalho.

Vários antigos advogados do Departamento, tanto republicanos como democratas, também criticaram a exigência da equipa de Trump. O antigo procurador-geral dos Estados Unidos Bill Barr, nomeado pelo ex-presidente, afirmou à Fox News que a nomeação de um ‘mestre especial’ seria “uma perda de tempo”.

O que é um ‘mestre especial’?

De acordo com a Cornell Law School, um ‘mestre especial’ é um indivíduo nomeado por um tribunal para realizar uma ação em seu nome. Esta designação é normalmente utilizada para pessoas que realizam trabalho puramente investigativo.

Em entrevista à NPR, o mestre especial David Cohen afirma que esta designação é “uma espécie de nome chique para um ajudante do juiz” e diz que estes são nomeados quando o tribunal tem em mãos um caso complexo, como é o caso que envolve Donald Trump. O ‘mestre especial’ é, na maior parte das vezes, um advogado mas pode ser um especialista numa outra área técnica. Esta figura não existe na Justiça portuguesa.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados