Suspeito de matar espião russo que era contra o Kremlin morre de covid-19

4 jun, 17:54
Dmitry Kovtun (Getty Images)

O outro suspeito do assassinato do espião, Andrei Logovoi, confirmou a notícia, afirmando nas redes sociais que o seu " fiel amigo" faleceu

Dmitry Kovtun, um dos homens suspeitos de assassinar Alexander Litvinenko, morreu de Covid-19 este sábado. Segundo a agência de notícias TASS, a morte ocorreu num hospital na capital russa.

O outro suspeito do assassinato do espião russo que se posicionava contra o Kremlin, Andrei Logovoi, confirmou a notícia, afirmando nas redes sociais que o seu " fiel amigo" faleceu.

Kovtun nasceu em 1965, frequentou a academia de comando soviética e estava na Alemanha quando se deu a queda da União Soviética, tendo pedido asilo político em Hamburgo. Mais tarde voltou à Rússia, onde terá sido recrutado pelo amigo Logovoi para o KGB, os serviços secretos soviéticos.

Juntos, acredita-se que tenham envenenado Alexander Litvinenko, em 2006. A vítima foi envenenada com polónio-210, uma substância radioativa, num hotel em Londres, depois de se ter encontrado com os dois. Sentiu-se doente a seguir ao encontro e foi para o hospital, onde morreu umas semanas depois, dia 23 de novembro.

Uma investigação do Reino Unido, feita dez anos depois da morte, concluiu que Lugovoi e Kovtun envenenaram Litvinenko ao colocar a substância radioativa na caneca de chá verde da vítima. Além disso, foram encontrados vestígios dessa mesma substância em locais onde os dois agentes da KGB tinham estado, como escritórios e hotéis. Os dois homens sempre negaram a culpa.

A mesma investigação concluiu que os dois homicidas agiram por ordem do presidente russo Vladimir Putin. Algo que também tinha sido afirmado por Litvinenko no hospital. Também o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos decretou que a Rússia foi responsável pela morte de Alexander Litvinenko.

A Rússia negou qualquer envolvimento no assassinato, tendo-se recusado a extraditar os dois agentes para o Reino Unido, de forma a poderem ser julgados.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados