Inflação leva Reserva Federal a sinalizar aumento das taxas de juro "em breve"

Agência Lusa , JGR
26 jan, 20:18
Jerome Powell, presidente da Reserva Federal

O banco central norte-americano decidiu continuar a reduzir o ritmo mensal das compras líquidas de ativos, que irá terminar em março

A Reserva Federal norte-americana (Fed) manteve esta quarta-feira as taxas de juro entre 0% e 0,25%, antecipando ser apropriado um aumento "em breve".

"Com a inflação bem acima de 2% e um mercado de trabalho forte, o Comité espera que em breve seja apropriado para aumentar a faixa-alvo para a taxa de juros federais", pode ler-se na decisão divulgada esta quarta-feira.

O banco central norte-americano decidiu continuar a reduzir o ritmo mensal das compras líquidas de ativos, que irá terminar em março.

Em dezembro, a instituição acelerou o ritmo de redução das suas compras de ativos com o objetivo de terminarem em março, três meses antes do inicialmente previsto.

Pôr fim às injeções de liquidez, que apoiaram a economia durante a crise causada pela pandemia, é um pré-requisito para poder subir as taxas de juro.

O banco central baixou as taxas de juro, colocando-as próximo de zero, em março de 2020, no início da pandemia, para estimular o consumo, motor da economia norte-americana, mas a procura tem sido muito forte, numa altura em que a oferta não a acompanha, devido às dificuldades nas cadeias de abastecimento.

Como consequência, os preços sobem e a inflação atingiu 7% em 2021, o nível mais elevado em quase 40 anos.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Economia

Mais Economia

Patrocinados