Menos infeções, menos mortes e menos internamentos na última semana por covid-19

CNN Portugal , MJC
24 jun, 20:03
Mulher com máscara de proteção facial. (AP Photo/Rick Bowmer)

O R(t) apresenta um valor inferior a 1 a nível nacional e em todas das regiões do continente

Portugal registou na última semana 95.943 casos e 239 mortes associadas à covid-19. De acordo com o relatório da semanal da DGS, são menos 17.185 casos do que na semana anterior. O número de mortes também está a descer (menos 22).

O número de internados mantém a tendência das últimas semanas e continua a descer. São agora 1.743 internamentos, 85 dos quais nos cuidados intensivos.

O número de novos casos de covid-19, no período de 14 a 20 de junho, foi de 932 casos por 100 mil habitantes, com tendência decrescente a nível nacional, de acordo com o relatório semanal da Direção-Geral de Saúde (DGS) publicado esta sexta-feira. A região do Algarve e a Região Autónoma dos Açores apresentam uma tendência estável, enquanto as restantes regiões de saúde apresentam uma tendência decrescente.

O R(t) apresenta um valor inferior a 1 a nível nacional e em todas das regiões do continente, o que indica uma tendência decrescente.

O número de pessoas com covid-19 internadas em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) no continente revelou uma tendência decrescente, correspondendo a 33,3% (no período anterior em análise foi de 38,4%) do valor crítico definido de 255 camas ocupadas.

A razão entre o número de pessoas internadas e infetadas foi de 0,12, com tendência crescente, indicando uma menor gravidade da infeção, à semelhança do observado desde o início de 2022.

A linhagem BA.5 da variante Omicron continua a ser claramente dominante em Portugal, apresentando uma frequência relativa estimada de 88% na semana 23 (de 6 a 12 de junho). Esta linhagem tem revelado uma maior capacidade de transmissão, a qual é potencialmente mediada por mutações adicionais com impacto na entrada do vírus nas células humanas e/ou pela sua capacidade de evasão à resposta imunitária.

A mortalidade específica por covid-19 (48,6 óbitos em 14 dias por 1 milhão habitantes) apresenta uma possível inversão da tendência para decrescente, segundo a DGS. A mortalidade por todas as causas encontra-se acima do esperado para a época do ano, indicando um excesso elevado de mortalidade por todas as causas, em parte associado à mortalidade específica por covid-19. 

De acordo com a DGS, "a epidemia de covid-19 mantém uma incidência muito elevada, embora com tendência decrescente".  Assim, "é expectável a manutenção da diminuição da procura de cuidados de saúde".

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados